Cidades

VÍDEO: Almoço de casamento reúne 50 pessoas em restaurante da 104 Sul

Evento ocorreu na tarde deste sábado (1º/8) e recebeu críticas de moradores da quadra por provocar aglomeração durante momento de pandemia da covid-19

Jéssica Eufrásio
postado em 01/08/2020 19:20
 (foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
[VIDEO1]
Um almoço de casamento em um restaurante da 104 Sul foi alvo de críticas de moradores da quadra neste sábado (1;/8). O Correio recebeu imagens de um evento que ocorreu entre as 13h e as 17h, no Toro Parrilla. Vídeos mostram dezenas de pessoas reunidas, além de várias sem máscara, durante a comemoração. No paletó de ao menos dois participantes, havia insígnias da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), e um dos convidados tinha um quepe da corporação em mãos. Ele usava máscara.
Uma pessoa que registrou imagens do casamento e preferiu não se identificar disse que ainda não tinha visto aglomeração nos comércios da quadra desde a flexibilização. ;Vi as pessoas chegarem desde as 13h, com compras de casamento, vestidos longos. Havia bebês, crianças e o restaurante estava lotado. Era uma irresponsabilidade o que estava acontecendo;, afirmou.

[SAIBAMAIS] O Decreto n; 40.939, de 2 de julho de 2020, estabelece normas para o funcionamento de bares e restaurantes da capital federal durante o momento de pandemia. Entre elas, está prevista a disposição de mesas a dois metros umas das outras, com o máximo de seis clientes em cada; funcionamento com até 50% da capacidade; e implementação de medidas de controle de acesso, para evitar grande fluxo e aglomeração.


Responsabilidade


Chef de cozinha do Toro Parrilla, Hélio Rodrigues confirmou que houve o casamento, mas disse que as medidas de distanciamento foram respeitadas. Além disso, ele afirmou que os demais clientes ficaram em uma área separada e que o evento ocorreu na parte externa do estabelecimento, reservada apenas para os convidados. ;Às vezes, gera aglomeração, sim, mas é algo sobre o que não temos controle;, reconheceu.

Hélio disse que os clientes têm álcool em gel à disposição e que a temperatura de todos é verificada na entrada. No caso dos convidados que aparecem sem máscara nas imagens, o chef disse que a maioria tirou o item de proteção do rosto apenas para comer ou beber. ;Este é o primeiro evento que fazemos depois que o restaurante abriu. Deu 50 pessoas. O restaurante tem 200 e poucos lugares. Estamos (neste sábado) com cento e poucos clientes. Espalhei as mesas no jardim para garantir o distanciamento;, continuou.

O chef reforçou que o restaurante tem seguido as regras do decreto distrital e que a empresa busca atender a todas as recomendações. ;A gente tem de trabalhar. Somos mais de 40 famílias dependendo direta e indiretamente (do restaurante). Nosso patrão não mandou ninguém embora (durante o período de fechamento) e pagou nossos salários certinho. Entendo que venha uma pessoa (para filmar) porque está preocupada, mas eu jamais seria irresponsável de colocar em risco minha equipe e meus clientes. Tentamos agregar as coisas, para voltarmos com responsabilidade;, salientou Hélio.

Acompanhamento


Carro da PMDF estava estacionado próximo ao local Um carro da PMDF estava estacionado em um gramado próximo ao restaurante, mas militares do veículo encontravam-se em uma padaria ao lado do restaurante, segundo relatos. De acordo com a Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística (DF Legal), a corporação compõe a força-tarefa responsável por fiscalizar o cumprimento de decretos distritais com regras que visam evitar a disseminação do novo coronavírus, como o que trata do uso de máscaras.

Além da PMDF, órgãos como Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros e a própria DF Legal desempenham essa função. Questionada sobre os convidados, a Polícia Militar afirmou que, "a princípio, trata-se de um evento particular". "Solicitamos que essa demanda seja encaminhada ao órgão competente, responsável pela fiscalização e apuração de eventuais irregularidades que o estabelecimento tenha cometido ou esteja cometendo observada a legislação vigente", informou a corporação por meio de nota.

Na segunda-feira (3/8), a secretaria DF Legal respondeu que não chegou a ser acionada pelos telefones 162 ou 160 para fiscalizar o local. A pasta ressaltou que todos os estabelecimentos são obrigados a cumprir normas previstas no Decreto n; 40.939/2020. "(O documento) prevê o distanciamento entre as mesas, o máximo de seis pessoas nelas e a disponibilidade de álcool gel para todos os clientes. Também fica proibido o ingresso de clientes na loja sem o devido uso de máscaras, que podem ser retiradas apenas no momento da alimentação", afirmou nota do órgão.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação