Publicidade

Correio Braziliense

Dave Bautista só continuará em 'Guardiões da galáxia' por força do contrato

Dave Bautista, que está sendo um dos maiores defensores do diretor, agora foi ao twitter reafirmar que continuação sem Gunn 'não será Guardiões da Galáxia'


postado em 07/08/2018 17:19 / atualizado em 07/08/2018 17:19

Dave Bautista, interprete de Drax, continua pedindo a volta de Gunn(foto: Alberto E. Rodriguez)
Dave Bautista, interprete de Drax, continua pedindo a volta de Gunn (foto: Alberto E. Rodriguez)


A polêmica da demissão de James Gunn da direção da continuação de Guardiões da galáxia não para. Após a expulsão do idealizador da saga universal por conta de tuítes antigos que faziam piada em relação à pedofilia e a estupro já foi-se feito uma petição pedindo a volta de Gunn, e até as estrelas do filme se posicionaram a favor do diretor.

Agora, Dave Bautista, interprete de Drax – que sempre pareceu um dos maiores defensores de Gunn – foi às redes sociais e afirmou se sentir pressionado por continuar o trabalho sem o diretor, que só o faria por obrigação contratual, além de que a continuação do filme sem o idealizador, simplesmente não será um Guardiões da galáxia.

“Eu farei o que sou legalmente obrigado, mas os Guardiões sem o James Gunn não é aquilo que assinei para fazer. Guardiões da galáxia sem o James Gunn não é Guardiões da galáxia. Também é bastante repulsivo trabalhar para alguém que dá voz a uma campanha liderada por fascistas #cybernazis. É assim que me sinto”, escreveu.
 

Caçada política e desculpas 

Demissão de Gunn ainda reverbera em Hollywood(foto: CARL COURT)
Demissão de Gunn ainda reverbera em Hollywood (foto: CARL COURT)
 
As afirmações do diretor foram feitas em meados de 2008 e foram descobertas por apoiadores do presidente norte-americano Donald Trump, ao qual Gunn é forte crítico – por isso a citação sobre “campanha liderada por fascistas”, de Bautista.

Gunn já pediu desculpas públicas pelos twittes antigo, em comunicado, na própria rede social. Confira na íntegra:

As pessoas que seguiram minha carreira sabem como comecei. Me via como um provocador, fazendo filmes e contando piadas que eram escandalosas e tabu para muitos. Como disse publicamente muitas vezes, na medida em que desenvolvi como pessoa, meu trabalho e meu humor também desenvolveram. Não posso dizer que sou melhor, mas sou muito diferente do que eu era  passado. A época em que falava coisas só para chocar e ver as reações de todos definitivamente já acabou. No passado, me desculpei pelo meu humor ácido. Me sinto arrependido e realmente quis dizer tudo que disse nas minhas desculpas. Eu sei que é uma declaração estranha e que pode parecer óbvia, mas estou aqui dizendo isso. Esta é a verdade completa: costumava fazer piadas ofensivas, não faço mais. Não culpo meu passado por isso, mas me sinto mais humano e mais criativo hoje. Amo vocês”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade