Ensino_EducacaoBasica

Entidades repercutem a indicação de um pastor no Ministério da Educação

Após saída de Abraham Weintraub, pastor é o terceiro indicado para assumir a pasta. Anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (10)

Lorena Fraga*
postado em 10/07/2020 20:45
Homem careca e branco pregando em um pedestal de igreja, usando terno

Doutor em educação pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre em direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, ele é o terceiro indicado para assumir o cargo em menos de um mês.

Iago Montalvão, presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), diz que a entidade acredita que uma mudança de nome não poderá significar a diferença da forma com que o governo encara o setor educacional. ;Ainda mais sendo um pastor, que vai carregar o projeto conservador. Mas o verdadeiro problema da educação no Brasil é o Bolsonaro;, afirma.

Ele reforça que a UNE seguirá na defesa da educação laica, pública, gratuita e de qualidade e pede a atenção para resolução de temas importantes que demandam urgência. ;Como dar condições para que os estudantes tenham estudo em casa, com internet, computador, material de estudo, tanto no ensino médio quanto no superior;, afirma, em referência ao retorno das aulas em ensino remoto, já certo em instituições de renome como a Universidade de Brasília.

Além disso, é preciso evitar a evasão massiva que, segundo ele, tem ocorrido nas universidades particulares. Isso seria possível por meio de um plano de apoio aos estudantes. ;Impedir demissão em massa de professores; uma discussão mais aprofundada e democrática sobre as novas datas do Enem e a votação urgente do Novo Fundeb. Todas essas questões o governo tem ignorado;, denuncia.

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), optou por não se manifestar sobre o novo ministro. O Semesp, a Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (ABMES) e a Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) divulgaram notas oficiais desejando êxito à gestão do novo ministro.

;É uma ótima notícia para fecharmos a semana, pois temos inúmeros assuntos pendentes na área de educação como pauta prioritária a fim de obter um ensino de qualidade no país;, diz a Fenep. Confira na íntegra as notas do Semesp, da ABMES e da Fenep:
SEMESP - NOTA À IMPRENSA
"O Semesp espera que a escolha do Prof. Dr. Milton Ribeiro como ministro traga uma nova orientação para o Ministério da Educação, com a adoção de uma política pública considerada como política de Estado que permita ao país superar seus atuais desafios nessa área.

Reconhecidamente o novo ministro acumula experiências exitosas em sua trajetória profissional e elas deverão contribuir para que a educação brasileira resolva as questões de acesso e oferta de oportunidades de aprendizado com qualidade, em todos os níveis educacionais, para pessoas de diferentes perfis e diferentes condições sociais.

Como sempre, o Semesp se coloca à disposição do novo ministro para contribuir com esse objetivo por meio do diálogo e da apresentação de propostas e sugestões que sejam capazes de refletir o consenso entre o setor público e setor privado."

ABMES - NOTA À IMPRENSA
Milton Ribeiro é doutor em Educação, tem experiência em gestão universitária e um perfil discreto. A Universidade Mackenzie, onde ele atuou, é uma das mais tradicionais e prestigiadas instituições privadas do Brasil. Com esse currículo sólido, a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) estima êxito ao professor no cargo de ministro da Educação.

Este é um momento desafiador em consequência da pandemia da Covid-19 e toda a atenção será necessária para que a retomada segura das atividades acadêmicas presenciais. Esperamos ter com o novo ministro um diálogo propositivo em prol da educação superior de qualidade no país. Estamos à disposição para manter a contínua contribuição na pauta positiva das políticas públicas necessárias para ampliar a inclusão e a democratização do ensino superior, apoiando a volta do crescimento do acesso ao setor privado de educação superior.

FENEP ; NOTA À IMPRENSA

A Federação Nacional das Escolas Particulares (FENEP) deseja ao novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, que é doutor em Educação, com experiência em gestão universitária, pleno êxito na nova empreitada à frente dos desafios da educação brasileira. Estamos num momento que merece total atenção devido ao atual cenário que vivemos, em decorrência da Covid-19, somado à reabertura das escolas, com a modalidade presencial.

A expectativa da FENEP é somar junto à pasta, uma vez que representa um segmento composto por mais de 40 mil instituições, independente e que emprega mais de 1,7 milhões de pessoas, em sua maioria mulheres com curso superior, para atender mais de 15 milhões de alunos da educação infantil à pós-graduação.

A escolha, confirmada pelo presidente da República em sua página no Facebook e publicada em edição extra no Diário Oficial da União desta sexta-feira (10), é uma ótima notícia para fecharmos a semana, pois temos inúmeros assuntos pendentes para tratarmos a Educação como pauta prioritária a fim de obter um ensino de qualidade no país.

Confira repercussão nas redes

[VIDEO1]
[VIDEO2]
[VIDEO3]
[VIDEO4]
[VIDEO5]


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação