Publicidade

Correio Braziliense

Quase 20% da população está obesa, indica pesquisa do Ministério da Saúde

Aumento de peso provocou um aumento de pessoas vivendo com doenças crônicas como diabetes e hipertensão


postado em 17/04/2017 13:54

(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press )
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press )

Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde aponta que o número de pessoas obesas no Brasil já representa 18,2% da população. Desde 2006 o índice de obesidade vem crescendo entre os brasileiros. Há dez anos, quando a pesquisa começou a ser realizada, 11,8% da população estava acima do peso em níveis danosos à saúde. A Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) também revela um aumento na quantidade de pessoas acometidas por doenças crônicas. A diabetes e hipertensão, as duas doenças crônicas que mais avançaram no período avaliado, estão ligadas ao ganho de peso.
 

De acordo com as informações da pesquisa, o diagnóstico médico de diabetes passou de 5,5% em 2006 para 8,9% em 2016 e o de hipertensão de 22,5% em 2006 para 25,7% em 2016. Em ambos os casos, o diagnóstico é mais prevalente em mulheres. Mesmo entre os mais jovens, de 25 a 44 anos, a taxa de obesidade é alta, atingindo 17% desta população. O estudo também mostra a mudança no hábito alimentar da população.

Os dados apontam uma diminuição da ingestão de ingredientes considerados básicos e tradicionais na mesa do brasileiro. O consumo regular de feijão diminuiu 67,5% em 2012 para 61,3% em 2016. E apenas 1 entre 3 adultos consomem frutas e hortaliças em cinco dias da semana. Esse quadro mostra a transição alimentar no Brasil, que antes era a desnutrição e agora está entre os países que apresentam altas prevalências de obesidade. 

Em 10 anos ocorreu redução no consumo de refrigerante e de sucos artificiais, que afetam o metabolismo e podem proporcionar ganho de peso. O consumo destes tipos de produtos caiu de 30,9% em 2006 para 16,5% no ano passado.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade