Politica

Moro diz que Brasil e Argentina assinarão revisão do tratado de extradição

Moro usou a fuga de Battisti do país como justificativa para revisão do tratado entre os dois países

Gabriela Vinhal
postado em 16/01/2019 11:39
 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Sérgio Moro
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou nesta quarta-feira (16/1) que Brasil e Argentina assinarão uma revisão do tratado de extradição entre os dois países para acelerar o processo. Ele falou brevemente com a imprensa após se encontrar com os ministros argentinos, Germán Garavano (Justiça) e Patrícia Bullrich (Segurança), no Palácio do Planalto.

[FOTO1318674]

Segundo Moro, esta revisão do tratado de extradição entre os dois países "será adiantado" e dará celeridade aos processos jurídicos entre os dois países. "Às vezes tem uma situação urgente. Precisa prender o cara. E, se você seguir o canal diplomático, acontece igual o Battisti", disse à imprensa.

O ministro da Justiça se referiu à prisão do italiano Cesare Battisti, que ocorreu na Bolívia com a cooperação entre as polícias bolivianas e italianas. Ele teve a extradição do Brasil autorizada em dezembro, mas fugiu para a Bolívia, onde foi preso no último fim de semana e enviado para Itália, de onde estava longe há quase 40 anos.

"O que existe é um tratado de extradição um pouco antigo. Feito em outra época. As formas de comunicação hoje são outras e há percepção de que há uma necessidade de sempre agilizar esse mecanismo de cooperação. Esse tratado vai permitir uma comunicação mais rápida entre os dois países", acrescentou o ministro.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação