Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro sobre Guedes: 'nosso casamento segue mais forte do que nunca'

No Twitter, o presidente escreveu ainda que sem a reforma da Previdência, seria melhor trocar o ministro da Economia pelo da 'Alquimia'


postado em 24/05/2019 22:00 / atualizado em 24/05/2019 22:05

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
 
O presidente da República, Jair Bolsonaro, usou seu perfil no Twitter para amenizar a declaração dada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, à Revista Veja, de que sairia do governo caso o Congresso aprovasse uma reforminha. No microblog, Bolsonaro escreveu que “parte da mídia” tenta criar um “virtual atrito” entre ele e o ministro. Segundo o presidente, o “casamento” entre os dois “segue mais forte que nunca”. 

Na publicação, Bolsonaro diz ainda que caso a reforma da Previdência não for aprovada, deverá trocar o ministro da Economia pelo da “Alquimia”.
 
 

Mais cedo, durante sua visita ao Recife, Bolsonaro declarou, em resposta à fala de Guedes, que “é um direito dele” sair do governo. “Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu. Logicamente ele está vendo uma catástrofe, é verdade, eu concordo com ele (Guedes), se nós não aprovarmos algo realmente muito próximo ao que enviamos no Parlamento.”, disse o presidente na ocasião.
 

Congresso 

Presidente da comissão especial da reforma da Previdência, o deputado Marcelo Ramos (PR-AM), disse nesta sexta-feira (24/05) que, com ou sem o ministro Paulo Guedes (Economia) no governo, a proposta para endurecer as regras de aposentadorias vai ser aprovada. Ramos e o relator da proposta, Samuel Moreira (PSDB-SP), avaliam que a declaração do ministro não tem efeito sobre o Congresso. “A Câmara tem compromisso com a reforma independente desse discurso (de Guedes) que beira a chantagem. Ele é importante, mas, com ele ou sem ele, vai ter reforma”, disse o presidente da comissão. 

A noite, o Ministério da Economia publicou uma nota reforçando o total compromisso do ministro com a retomada do crescimento. Além disso, a pasta rechaça qualquer hipótese de que ele se afaste desse propósito. “O Ministério da Economia reitera ainda sua absoluta confiança no trabalho do Congresso Nacional, instituição com a qual mantém excelente diálogo, para garantir a aprovação da Nova Previdência com economia superior a R$ 1 trilhão”, completou. 

O deputado federal José Nelto (GO), líder do Podemos, classificou como chantagem as declarações de Guedes. “O ministro faz chantagem com o Congresso e com a nação. Em vez de fazer chantagem, de pegar um avião e morar no exterior, ele deveria dar o exemplo, ficar no país, ajudar a resolver a crise, e apresentar todas as propostas que o Brasil espera. É isso que nós queremos, e não um ministro fujão”, criticou. 

Viagem ao Nordeste

Bolsonaro visitou, nesta sexta-feira (24/5), Pernambuco, o primeiro destino de sua viagem ao Nordeste, região na qual possui pior avaliação. Segundo pesquisa Datafolha divulgada em abril, 39% dos nordestinos consideram o seu governo ruim ou péssimo ante 30% da média nacional. O pesselista foi derrotado nos nove estados da região na eleição do ano passado, ficando atrás do então candidato Fernando Haddad (PT).

Oficialmente, o encontro desta sexta serviu para aprovar o Plano de Desenvolvimento do Nordeste, que tem o objetivo de estimular a economia na região, em reunião da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste).
 
* Estagiário sob supervisão de Anderson Costolli

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade