Publicidade

Correio Braziliense

Sara Winter ameaça Alexandre de Moraes sobre lugares que ele frequenta

Nas redes sociais, logo após a PF deixar sua casa, ela chamou o ministro Alexandre de Moraes de "covarde" e disse que os agentes federais chegaram à sua residência às 6h


postado em 27/05/2020 15:16 / atualizado em 27/05/2020 20:03

(foto: Reprodução/Instagram)
(foto: Reprodução/Instagram)
A ativista bolsonarista Sara Winter, alvo de busca e apreensão na operação da Polícia Federal deflagrada na manhã desta quarta-feira (27/5), fez críticas e ameaças ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que autorizou a operação cujo alvo é um grupo suspeito de disseminar fake news e ataques virtuais aos ministros do Supremo.  

Em um vídeo gravado após a busca e a apreensão em sua casa, Winter diz que gostaria de "trocar soco" com o ministro e que descobrirá tudo sobre a vida do magistrado, incluindo os lugares que ele frequenta. "Nunca mais vai ter paz na sua vida”, afirma.

"Não vão me calar, de maneira nenhuma. Pelo contrário. Eu sou uma pessoa extremamente resiliente. Pois agora... Pena que ele mora em São Paulo. Porque, se ele morasse aqui (em Brasília), eu já estava na frente da casa dele convidando para trocar soco comigo. Juro por Deus. Essa é a minha vontade. Queria trocar soco com esse fdp, esse arrombado. Infelizmente, não posso", diz.

Ela então continua: "Ele mora lá em São Paulo, não é? Pois você me aguarde, senhor Alexandre de Moraes. Nunca mais vai ter paz na sua vida. A gente vai infernizar sua vida, vamos descobrir os lugares que o senhor frequenta, a gente vai descobrir quem são as empregadas domésticas que trabalham para o senhor... A gente vai descobrir tudo da sua vida até o senhor pedir para sair. Hoje o senhor tomou a pior decisão da sua vida". Para o procurador do Ministério Público Federal Vladimir Aras, ao gravar o vídeo, Sara "pediu para ser presa".

 

Sara é uma das lideranças do grupo 300 do Brasil, formado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e que acampou em frente ao STF. O grupo já foi chamado de milícia armada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). 

Pouco depois da ação policial, Sara gravou outro vídeo no qual chama Alexandre de Moraes de "covarde". "A Polícia Federal acaba de sair da minha casa. Bateram aqui às 6 horas a mando de Alexandre de Moraes. Levaram meu celular e notebook. Estou praticamente incomunicável. Moraes, seu covarde, você não vai me calar", afirma.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade