Politica

No momento da prisão, Queiroz disse que esposa estava no Rio de Janeiro

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro afirmou que Márcia Oliveira Aguiar não estava em São Paulo. Mandado de prisão contra ela segue aberto

Sarah Teófilo
postado em 18/06/2020 15:30
Fabrício QueirozO promotor de Justiça Jandir Moura Torres Neto, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de São Paulo (MPSP), disse que no momento da prisão do policial militar aposentado Fabrício Queiroz, ele afirmou que a sua esposa, Márcia Oliveira de Aguiar, está no Rio de Janeiro, e não em São Paulo, onde ele foi preso.

Queiroz é ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro. Segundo o promotor, durante a busca foi perguntado a ele onde estava sua esposa, já que havia também um mandado contra ela. "O que ele falou foi que ela não estava em São Paulo, estava no Rio de Janeiro, e foi só isso que ele falou e só isso que foi perguntado", afirmou.

O mandado contra Márcia segue aberto. A prisão de Queiroz foi em uma chácara em Atibaia (SP) de Frederick Wassef, advogado do presidente Jair Bolsonaro e seu filho, Flávio Bolsonaro. O MP e a Polícia Civil de São Paulo foram ao local para cumprir a prisão de Queiroz e sua esposa, sem saber exatamente se estariam lá.

O advogado de Queiroz, Paulo Emílio Catta Preta, disse em entrevista na tarde desta quinta-feira (18) transmitida pela CNN Brasil que não sabe onde está Márcia e que aguarda que ela faça contato. Queiroz foi levado ao presídio de Benfica, no Rio de Janeiro, e em seguida encaminhado a Bangu 8. Catta Preta foi advogado do caso do homicídio do miliciano Adriano da Nóbrega.
A prisão de Queiroz, feita pela no âmbito das investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) que apuram a sua participação em um esquema de desvio dos salários de servidores do gabinete de Flávio na época em que ele era deputado estadual pelo RJ.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação