Covid-19

Anvisa recebe novo pedido de uso emergencial da vacina Sputnik V

Solicitação é a segunda feito pela União Química, que pediu à agência reguladora para cancelar a primeira. Órgão informou que já iniciou a triagem dos documentos

Maria Eduarda Cardim
postado em 26/03/2021 12:50 / atualizado em 26/03/2021 12:53
 (crédito: OLIVER BUNIC / AFP)
(crédito: OLIVER BUNIC / AFP)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu, nesta sexta-feira (26/3), um novo pedido de autorização do uso emergencial da vacina russa Sputnik V. A solicitação foi feita pelo laboratório União Química, que produz o imunizante no Brasil e representa o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), desenvolvedor da vacina contra a covid-19.

O pedido é o segundo feito pela União Química, que pediu para cancelar o primeiro. A Anvisa informou que já iniciou a triagem dos documentos da solicitação. “As primeiras 24 horas serão utilizadas para fazer uma triagem do processo e checar se os documentos necessários estão disponíveis. Se houver informação importante faltando, a Anvisa pode solicitar as informações adicionais ao laboratório”, diz a agência.

Após isso, o órgão regulador analisa diversos pontos para autorizar ou não o uso emergencial da vacina. A previsão legal para conclusão da análise é de sete dias úteis.

Apesar de ainda não ter sido autorizada pela agência brasileira, o Ministério da Saúde assinou um contrato no início do mês para comprar 10 milhões de doses da Sputnik V. As doses serão importadas da Rússia pela União Química e as primeiras começam a chegar no mês de abril no Brasil.

O cronograma apresentado ao ministério prevê a chegada de 400 mil doses até o fim de abril, 2 milhões de vacina até maio e 7,6 milhões em junho.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE