Crime

Seis brasileiros são presos no Paraguai em investigação de execução na fronteira

Entre os mortos estão duas brasileiras e dois paraguaios; todos foram alvejados dentro de um carro quando voltavam de uma festa

Thays Martins
postado em 11/10/2021 12:56 / atualizado em 11/10/2021 13:29
 (crédito: Twitter/ Policia Nacional del Paraguay )
(crédito: Twitter/ Policia Nacional del Paraguay )

A polícia do Paraguai prendeu, nesta segunda-feira (11/10), seis brasileiros suspeitos de estarem envolvidos no assassinato de quatro pessoas na fronteira do Brasil com o país. Entre os mortos, estão duas brasileiras e dois paraguaios.

De acordo com o Departamento Contra o Crime Organizado, os seis foram detidos em uma casa  na Villa Estefan de Amambay, em Pedro Juan Caballero. Também foram apreendidos três carros que teriam sido usados pelo grupo. Segundo a polícia, foi de lá que saiu o veículo utilizado para cometer a chacina, que foi encontrado queimado. Outro suspeito já tinha sido preso no domingo (10/10) durante uma perseguição. De acordo com a polícia, os suspeitos estão à disposição do Ministério Público. 

O crime aconteceu no sábado (9/10) em Pedro Juan Cabalero, fronteira do Paraguai com o Brasil. As quatro vítimas estavam em um carro,  saindo de uma festa, quando foram alvejadas.  Câmeras de segurança registraram o momento do crime. 

Uma das vítimas é Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha de Ronald Acevedo, governador de Amambay, no Paraguai. As duas brasileiras são Kaline Reinoso de Oliveira, de 22 anos e Rhamye Jamilly Borges de Oliveira, de 18 anos. As duas estudavam medicina no país vizinho.  Ainda morreu Omar Vicente Álvarez Grance, de 32 anos.

As investigações preliminares apontam que o crime possa ter sido cometido por disputa de território por facções criminosas. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE