Oculação de cadaver

Mulher que teria pedido à vizinha para congelar feto no freezer está presa

Ela será indiciada por ocultação de cadáver. Exame necroscópico definirá se será também indiciada por infanticídio, homicídio ou aborto

Ivan Drummond - Estado de Minas
postado em 02/12/2021 18:41
A delegada Letícia Gamboge disse que o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios do Barreiro -  (crédito: Edésio Ferreira/EM/D. A. Press)
A delegada Letícia Gamboge disse que o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios do Barreiro - (crédito: Edésio Ferreira/EM/D. A. Press)

Encontrada pela Polícia Civil, na tarde desta quarta-feira (1º/12), a suposta mãe do feto encontrado no freezer da casa de uma vizinha, no Barreiro, Região Oeste de Belo Horizonte. A informação é da delegada Letícia Gamboge, chefe do Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que disse ainda que o caso foi encaminhado para a Delegacia de Homicídio do Barreiro e será presidido pelo delegado Alexandre Fonseca.

A suposta mãe prestou depoimento nesta tarde, na delegacia do Barreiro. Segundo a delegada Gamboge, ela será indiciada por ocultação de cadáver, pelo menos por enquanto.

“É o crime que temos comprovação até o momento. Ocultação de cadáver é um crime permanente, que possibilita o flagrante, mesmo depois de um ano, que é o tempo que parece que o feto foi congelado”, afirma a delegada.

Segundo ela, a mulher poderá ser indiciada por outros crimes, mas que isso depende do exame de necroscopia, que será realizado no feto que está no Instituto Médico Legal (IML). “Ela poderá ser indiciada por infanticídio, homicídio ou aborto. Precisamos definir, a partir desse exame, se o feto já seria um bebê e teria nascido ou não.”

A descoberta do crime ocorreu na manhã desta quarta-feira, quando uma mulher procurou a polícia para entregar o feto, contando que uma vizinha, há um ano, teria pedido para que ela congelasse o embrulho. A mulher, suposta mãe, não falou do que se tratava.

Sempre que a mulher tentava falar com a vizinha, pelo celular, pois ela havia desaparecido da casa onde morava, sobre o embrulho, ela se esquivava. Até que hoje ela resolveu verificar o embrulho e se deparou com o feto. A vizinha também já prestou depoimento.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE