Resgate

Grupo conduzido por 'coach messiânico' é resgatado no Pico dos Marins em SP

Grupo de 32 pessoas poderia ter morrido de hipotermia, segundo bombeiros; expedição era exemplo para "subir na vida" e fazia parte de programa de aconselhamento

Ana Laura Queiroz* - Estado de Minas
postado em 07/01/2022 10:18
 (crédito:  Instagram/Reprodução)
(crédito: Instagram/Reprodução)

Um dos ícones do montanhismo brasileiro, o Pico dos Marins, localizado na Serra da Mantiqueira em São Paulo, é destino de milhares de turistas e praticantes de esportes de montanha. O local, conhecido pela sua exuberância natural a 2.420 metros acima do nível do mar, no entanto, requer atenção e cuidado daqueles que desejam chegar ao cume - e voltar em segurança.

Não foi o caso do grupo conduzido por Pablo Marçal, conhecido nas redes sociais como um "coach messiânico”. O influencer conduziu 67 pessoas à montanha em meio a péssimas condições climáticas e a recomendações contrárias da Defesa Civil, que divulgou estado de alerta para a região.

Nas redes sociais, Marçal se diz escritor de best-sellers e autor de métodos que prometem “destravar” pessoas rumo a uma vida de sucesso profissional e pessoal. A expedição à montanha seria um exemplo de “subir na vida” e fazia parte de um treinamento de aconselhamento intitulado “Pior ano da sua vida”. Toda a ascensão foi filmada e publicada em seu perfil no instagram.

Ao longo do caminho parte do grupo desistiu do percurso e regressou à base da montanha. Os 32 que restaram, no entanto, chegaram ao topo em meio a rajadas de vento e uma chuva incessante. Cenário suficiente para indicar uma possível hipotermia dos integrantes.

Resgate

Por volta das 3h30 desta quinta-feira (6/1), o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo foi acionado pelo grupo. Os resgatistas alcançaram o grupo no cume do Pico dos Marins e constataram que as pessoas corriam sério risco de morrer de hipotermia.

Nos vídeos divulgados pelo influencer há cenas de barracas voando. Marçal informa, inclusive, que as barracas se romperam com o vento e que ele próprio precisou se abrigar junto a outro integrante.

De acordo com a corporação, a visibilidade na descida era de apenas 5 metros e que o grupo poderia facilmente se perder no caminho de volta. Não há informações se Marçal tem cursos de resgate em montanha, ou certificação para guiar em ambientes como o da Serra da Mantiqueira.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE