TRAGÉDIA

Capitólio: Todos os mortos e os últimos 3 desaparecidos estavam na mesma lancha

As vítimas fatais e os últimos desaparecidos estavam na lancha denominada Jesus. Buscas com mergulhadores foi interrompida e voltará na manhã de domingo

Talita de Souza
postado em 08/01/2022 23:14 / atualizado em 08/01/2022 23:55
Buscas com mergulhadores foram encerradas no fim da noite de sábado. Agentes continuam a procurar os últimos três desaparecidos com embarcações -  (crédito: HANDOUT / MINAS GERAIS FIRE DEPARTMENT / AFP)
Buscas com mergulhadores foram encerradas no fim da noite de sábado. Agentes continuam a procurar os últimos três desaparecidos com embarcações - (crédito: HANDOUT / MINAS GERAIS FIRE DEPARTMENT / AFP)

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais informou que todas as vítimas fatais do desprendimento da rocha do paredão de cânion da lagoa das Furnas, em Capitólio (MG), estavam na mesma embarcação, denominada Jesus. Também estavam nessa lancha os últimos três turistas que permanecem desaparecidos após o acidente. Os outros 17 — de um total de 20 buscados inicialmente — foram encontrados e encaminhados para os hospitais da região. 

"No momento, temos sete óbitos e três vítimas ainda desaparecidas. Todas elas estavam na lancha de nome Jesus, que foi uma das quatro lanchas impactadas pelo desprendimento da rocha. Das outras três lanchas, todas as vítimas foram resgatadas e conduzidas para unidades hospitalares da região", contou o tenente Pedro Aihara. A maior parte das vítimas já recebeu alta. 

Agora, o foco da corporação é nas três pessoas que permanecem desaparecidas. "O Corpo de Bombeiros manifesta a sua solidariedade e sentimentos a todos os familiares das vítimas que estão enlutados por essa tragédia", desabafou o militar. 

A corporação suspendeu a busca feita por mergulhadores no local, mas afirma que as buscas por informações e via embarcações permanecem. "Devido a condição da visibilidade que fica bastante prejudicada durante a noite, e também pela segurança dos operadores, foi suspensa a operação com mergulhadores. Mas as buscas permanecessem durante toda madrugada", contou o tenente Pedro Aihara. 

As buscas retornarão nas primeiras horas da manhã de domingo (9/1). "No raiar do dia, já retomamos a parte com os mergulhadores", garantiu o tenente. 

O acidente ocorreu no início da tarde deste sábado (8/1) e atingiu quatro lanchas que estavam próximas ao paredão. Até o momento, sete óbitos foram constatados — três mulheres e quatro homens. 

As vítimas fatais não foram identificadas. De acordo com a Defesa Civil, os turistas que não resistiram serão encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Passos (MG), para que seja feito o exame necroscópico para saber a causa da morte. A Defesa Civil acredita que as mortes ocorreram por afogamento ou impacto do rochedo com a embarcação.

As vítimas também terão as digitais coletadas, que serão encaminhadas para o Instituto de Análises e, se necessário, para a Polícia Federal para que as identidades dos corpos sejam descobertos. Mais cedo, o Corpo de Bombeiros afirmou que 40 agentes trabalham no local.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE