ANVISA

Anvisa confirma segundo caso do superfungo Candida auris e investiga terceiro

O micro-organismo apresenta resistência a medicamentos e a produtos de limpeza. Outro fator é a dificuldade de identificação laboratorial do patógeno. Entre os principais problemas da doença estão a infecção da corrente sanguínea e outras complicações invasivas

Ingrid Soares
postado em 13/01/2022 18:56 / atualizado em 13/01/2022 19:05
 (crédito: CDC/Divulga??o)
(crédito: CDC/Divulga??o)

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou, nesta quinta-feira (13/01), por meio de nota, que recebeu a confirmação do segundo caso do super fungo Candida auris em um paciente internado em um hospital de Pernambuco (PE). Um terceiro caso ainda está em análise. A agência apontou "surto" da doença e explicou que a expressão não abrange apenas grande quantidade de casos de uma doença contagiosa, mas o aparecimento de um novo microrganismo.

"É importante esclarecer que, apesar de no momento haver só dois casos confirmados, pode-se considerar que há um surto de Candida auris porque a definição epidemiológica de surto abrange não apenas uma grande quantidade de casos de doenças contagiosas ou de ordem sanitária, mas também o surgimento de um microrganismo novo na epidemiologia de um país ou até de um serviço de saúde", apontou.

A Anvisa ressaltou também que segue acompanhando as ações relacionadas ao surto, articulando-se com os envolvidos e apoiando as ações da força-tarefa nacional.

Segundo o órgão, essa espécie de fungo produz "biofilmes tolerantes a antifúngicos apresentando resistência aos medicamentos comumente utilizados para tratar infecções por Candida" e até 90% das amostras de Candida auris analisadas apontam resistência ao fluconazol, anfotericina B ou equinocandinas. 

Isso significa que o micro-organismo apresenta resistência a medicamentos e a produtos de limpeza. Outro fator é a dificuldade de identificação laboratorial do patógeno. Entre os principais problemas da doença estão a infecção da corrente sanguínea e outras complicações invasivas.

No dia 11, a Anvisa informou que foram identificados no primeiro mês deste ano dois casos de infecção pelo fungo envolvendo um paciente de 67 anos e outra de 70 anos que estavam internados num hospital da rede pública do Recife. Não há maiores informações sobre o estado de saúde dos dois.

 

  • Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
    Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
  • A maioria das infecções por Candida auris documentadas no mundo aconteceram em ambientes hospitalares
    A maioria das infecções por Candida auris documentadas no mundo aconteceram em ambientes hospitalares Foto: Getty Images
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE