Vacinação de crianças

Queiroga diz que CoronaVac será considerada para vacinação de crianças

Atualmente, a vacinação de crianças é feita apenas com a vacina da Pfizer, a Comirnarty, a única que havia sido aprovada pela Anvisa até o momento

Maria Eduarda Cardim
postado em 20/01/2022 15:22 / atualizado em 20/01/2022 15:22
 (crédito: Myke Sena/Ministério da Saúde)
(crédito: Myke Sena/Ministério da Saúde)

Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar, nesta quinta-feira (20/1), o uso emergencial da vacina contra a covid-19 CoronaVac em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos (não imunocomprometidas), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a vacina será "considerada" para o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19 (PNO). 

"A Anvisa autorizou o uso emergencial da vacina CoronaVac em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. Todas as vacinas autorizadas pela Anvisa são consideradas para a PNO. Aguardamos o inteiro da decisão e sua publicação no DOU", informou o ministro pelo Twitter. 

Atualmente, a vacinação de crianças é feita apenas com a vacina da Pfizer, a Comirnarty, a única que havia sido aprovada pela Anvisa até o momento. Agora, com a autorização de uso emergencial da CoronaVac, a imunização deste grupo poderá ser agilizada, já que a vacina utilizada para imunizar as crianças é a mesma aplicada nos adultos. 

Já o imunizante da Pfizer liberado para ser aplicado na população pediátrica é diferente daquele já utilizado na população com mais de 12 anos e ainda chega ao país aos poucos. 

imunização de crianças no Brasil começou após o governo demonstrar resistência e convocar uma consulta pública para avaliar a vacinação deste público, após a Anvisa já ter aprovado a vacina para a faixa etária.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE