MINAS GERAIS

Cãozinho que perdeu olho em pet shop pode virar nome de lei

Deputado autor do projeto afirma que a medida tem como objetivo evitar tragédias devido à 'falta de protocolos responsáveis e técnicos'

Cler Santos* - Estado de Minas
Thiago Bonna - Estado de Minas
postado em 17/06/2022 09:29
 (crédito: Reprodução)
(crédito: Reprodução)

O deputado estadual Oswaldo Lopes (PSD) apresentou o Projeto de Lei (PL) 1647/2020, chamado de "Lei Beethoven", que busca regulamentar os lares temporários domésticos, como hotéis, pet shops e outros ambientes, onde animais são deixados por seus tutores ocasionalmente.

O autor do projeto afirma que a medida tem como objetivo evitar tragédias devido à "falta de protocolos responsáveis e técnicos", como no caso do cachorrinho Beethoven, tutelado pela advogada Idamara Fernandes.


No dia 20 de maio, o cão da raça shih tzu foi deixado em um pet shop para tomar banho e ser tosado, ele também ficaria no local por uns dias, pois Idamara iria viajar e só retornaria no dia 23.

No dia seguinte à entrada do cão, ela recebeu uma ligação de uma clínica veterinária, avisando que Beethoven havia perdido um olho devido a um quadro de hemorragia.


A funcionária do pet shop, que fica em Ipatinga, no Vale do Aço, informou que estava dando banho em outro cachorro e não viu o que aconteceu, segundo Idamara.

O Pet Ateliê Ipatinga, que estava com a tutela de Beethoven quando o animal perdeu um olho, mudou de endereço e nome, mas segue atendendo normalmente. Eles dizem que tudo será esclarecido na Justiça.

A advogada afirmou que, em Minas Gerais, basta um alvará sanitário para abrir um pet shop, não sendo obrigatório a presença de um médico veterinário nem que os funcionários tenham algum curso para manejar os animais.

*Estagiária sob supervisão do subeditor Eduardo Oliveira  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE