Tráfico de drogas

PF deflagra operação contra família que lavou mais de R$ 40 milhões no DF

Montante seria proveniente do tráfico de drogas; 10 mandados de busca e apreensão foram cumpridos no Distrito Federal, em Rondônia e no Maranhão

Ao menos 30 oficiais da PF foram designados para o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, nesta quarta-feira (31/1), em Porto Velho (RO), Guajará-Mirim (RO), São Luís (MA) e Brasília -  (crédito: Divulgação/Polícia Federal)
Ao menos 30 oficiais da PF foram designados para o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, nesta quarta-feira (31/1), em Porto Velho (RO), Guajará-Mirim (RO), São Luís (MA) e Brasília - (crédito: Divulgação/Polícia Federal)
postado em 31/01/2024 15:41 / atualizado em 31/01/2024 15:48

A Polícia Federal cumpriu, nesta quarta-feira (31/1), 10 mandados de busca e apreensão divididos entre Distrito Federal, Maranhão e Rondônia. A ação, intitulada Operação Crash, visa desarticular um grupo criminoso voltado à lavagem de dinheiro. Grande parte do grupo era da mesma família e, segundo a PF, já movimentou mais de R$ 40 milhões por meio de empresas de fachada.

A investigação que originou a operação começou em janeiro de 2023, depois que oficiais verificaram diversas movimentações financeiras suspeitas. Segundo a corporação, alguns dos investigados já eram condenados por tráfico de drogas.

Os oficiais descobriram que a maior parte do grupo criminoso fazia parte da mesma família, e realizava diversas movimentações bancárias utilizando empresas de fachada do próprio grupo. Segundo a PF, foram constatadas transferências feitas pelos investigados que somam mais de R$ 40 milhões, os quais a polícia suspeita serem valores recebidos por meio do tráfico de drogas.

Ao menos 30 oficiais da PF foram designados para o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, hoje, em Porto Velho (RO), Guajará-Mirim (RO), Brasília (DF) e São Luís (MA). Eles foram expedidos pela 3ª Vara Federal da Seção Judiciária de Rondônia — vara criminal especializada em crimes financeiros, lavagem de capitais e organizações criminosas.

Os suspeitos vão presponder pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro. As penas, somadas, podem chegar a 35 anos de reclusão.

*Estagiário sob a supervisão de Andreia Castro

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
-->