ABUSO

Profissional perde vaga de emprego por não responder Whatsapp em 15 minutos

Desabafo do consultor de projetos Victor Barrios viralizou no Linkedin. Relato do profissional teve mais de 12 mil reações e 2.425 comentários na rede social profissional

A vaga almejada por Victor Barrios era de gestor de projetos -  (crédito: Tony Winston/Agência Brasília)
A vaga almejada por Victor Barrios era de gestor de projetos - (crédito: Tony Winston/Agência Brasília)

15 minutos foi o limite para que o consultor de projeto Victor Barrios fosse descartado de uma proposta de emprego. Segundo o profissional, que publicou um desabafo no Linkedin, uma recrutadora o retirou da seleção de trabalho porque ele não respondeu a mensagem no WhatsApp rapidamente. A empresa, segundo o relato de Victor, buscava pessoas "com perfil proativo e senso de urgência".

No relato publicado na rede social profissional, Victor expõe o print da conversa no Whatsapp. A mensagem tratava-se de um convite para seleção na vaga de gestão de projetos. O profissional, que respondeu a notificação uma hora após o recebimento, não recebeu resposta. Uma semana depois, enviou outra mensagem questionando sobre o processo seletivo, e foi informado pela empresa que outros perfis de candidato foram selecionados para a posição.

Victor perguntou o motivo da desistência. A empresa, então, informou que foram selecionados apenas candidatos que responderam em até 15 minutos após o envio da mensagem. "Estamos buscando perfis proativos e com senso de urgência", diz a mensagem.

"Não sei bem o que pensar, mas preferi parar a conversa após esse "feedback". Eu poderia me justificar, tentar explicar que eu estava estudando quando recebi a mensagem e que todo dia reservo algumas horas para estudar e, durante esse período, realmente não fico com o celular por perto, mas fiquei tão indignado que deixei para lá", escreveu o profissional no Linkedin.

Victor Barrios perdeu oportundiade de emprego por não ter respondido a mensagem em 15 minutos
Victor Barrios perdeu oportundiade de emprego por não ter respondido a mensagem em 15 minutos (foto: Reprodução/Linkedin Victor Barrios)

Viralizou

O desabafo de Victor Barrios viralizou e, até às 00h23 desta quarta-feira (10/7), acumula 

"Estar open to work é muito frustrante, seja pela falta de retorno dos processos seletivos ou pelos retornos absurdos..

Sexta-feira passada recebi uma mensagem perguntando se eu tinha interesse para uma "vaga de PMO" nenhuma informação adicional, nada de descrição de atividades, requisitos para a vaga, salário ou benefícios, apenas o convite para participar do processo seletivo. Solicitei maiores informações e não obtive mais respostas, então ontem resolvi mandar outra mensagem e foi quando eu descobri que não sou qualificado para a posição, pois eu não respondi rápido o suficiente. Esse foi o retorno que eu obtive, mesmo sem ninguém se quer solicitar meu currículo ou conversar comigo, decidiram que eu não sou pró-ativo e que não tenho senso de urgência, afinal demorei 1 hora para responder a mensagem.

Não sei bem o que pensar, mas preferi parar a conversa após esse "feedback". Eu poderia me justificar, tentar explicar que eu estava estudando quando recebi a mensagem e que todo dia reservo algumas horas para estudar e, durante esse período, realmente não fico com o celular por perto, mas fiquei tão indignado que deixei para lá.

Recrutadores, não é pelo tempo de resposta de uma mensagem que você avalia as qualificações de um candidato para uma vaga, mesmo estando open to work não deixamos de ter responsabilidades e obrigações que nos impedem de ficar 24 horas por dia com o celular na mão para responder prontamente uma mensagem."

 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

postado em 10/07/2024 00:46 / atualizado em 10/07/2024 00:47
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação