Apoio

Violência doméstica: veja como buscar ajuda durante a pandemia

Serviços públicos estão disponíveis para acolher mulheres em situação de violência durante a pandemia: veja como buscar ajuda

Correio Braziliense
postado em 13/08/2020 17:10 / atualizado em 13/08/2020 19:29
Atendimento às vítimas de violência domésticas seguem durante a pandemia -  (foto: Cristiano Gomes/CB/D.A Press)
Atendimento às vítimas de violência domésticas seguem durante a pandemia - (foto: Cristiano Gomes/CB/D.A Press)

O isolamento social ocasionado pela pandemia do novo coronavírus pode agravar os casos de violência doméstica. No Distrito Federal, os serviços especializados de apoio às vítimas continuam funcionando normalmente com atendimento adaptado às regras de distanciamento. 

No Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, é possível buscar orientação e informações seguras na Ouvidoria ou na Promotoria de Justiça em várias regiões administrativas. Os serviços buscam dar suporte para as vítimas e mostrar o melhor caminho para sair do ciclo de agressões. 

A assistente social Izis Morais, da Coordenadoria Executiva de Psicossocial do Ministério Público, explica que a violência doméstica não é apenas a agressão física, mas pode ser também a psicológica, sexual ou patrimonial. Todos esses comportamentos estão tipificados na Lei Maria da Penha.

Para a psicóloga Paola Luduvice, do Setor de Análise Psicossocial da Promotoria de Justiça de São Sebastião, o desemprego, a queda na renda familiar, o maior consumo de álcool e de drogas são fatores que contribuem para o aumento das agressões contra a mulher. 

“É importante (a vítima) manter contato com pessoas próximas, que possam ser uma escuta acolhedora, por Whatsapp ou videochamadas, por exemplo”, exemplifica Paola. A rede de apoio é importante para quem está passando por uma situação de violência. 

Se você precisa de atendimento ou conhece alguém que precisa, há serviços públicos disponíveis para o enfrentamento da violência doméstica. Conheça alguns serviços abaixo para acolher, informar e auxiliar:

Onde pedir ajuda

Ouvidoria do MPDFT
Telefones: 0800 644 9500 ou 127, das 8h às 19h
Clique aqui para acessar o formulário eletrônico

Promotorias de Justiça
Clique aqui para ver os contatos das promotorias de Justiça nas cidades

Centros Especializados de Atendimento à Mulher (CEAMs)
Unidades: Planaltina, Ceilândia e 102 Sul

Centros Especializados de Atenção às Pessoas em Situação de Violência (Cepavs)
Unidades: nos hospitais regionais ou policlínicas

Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
Telefone: 180 (disque-denúncia)

Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)
Entrequadra 204/205 Sul - Asa Sul
(61) 3207-6172

Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos
Telefone: 100

 

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação