Zona Rural

Governo quer intensificar regularização de áreas rurais em 2021

De acordo com estimativas do GDF, 45 mil famílias vivem em propriedades irregulares. A regularização fundiária seria um benefício para os produtores rurais

Washington Luiz
postado em 22/09/2020 13:07
O governador Ibaneis Rocha fez um apelo ao governo federal por apoio na regularização fundiária -  (crédito: Washington Luiz/CB/DA Press)
O governador Ibaneis Rocha fez um apelo ao governo federal por apoio na regularização fundiária - (crédito: Washington Luiz/CB/DA Press)

A regularização fundiária de áreas rurais do Distrito Federal se tornou o assunto principal de um evento realizado na manhã desta terça-feira na Emater. Durante a entrega de 13 carros e 25 aparelhos de GPS para auxiliar o trabalho dos extensionistas e dos produtores rurais, o governador Ibaneis Rocha (MDB) disse que o governo está “preparado” para que 2021 seja “o ano da regularização fundiária”. De acordo com estimativas do próprio GDF, 45 mil famílias vivem em propriedades consideradas irregulares na zona rural.

Ibaneis fez coro à fala do secretário de Agricultura DF, Candido Teles de Araújo, que aproveitou a presença da ministra Tereza Cristina para cobrar apoio do governo federal na regularização fundiária de terras.

“Eu preciso contar com a senhora nesse tema, já conversei com o Incra, já conversei com o superintendente, eu gostaria do empenho da senhora para que, em 2021, a gente possa realizar o sonho de muitos pequenos produtores aqui do Distrito Federal”, pediu Teles.

Em resposta, Tereza Cristina disse que sabe que a regularização é fundamental, mas disse que é “preciso vontade política para resolver isso” e garantiu que o “Incra está a disposição para o que for terra pública da União a gente possa resolver”.

Segundo Ibaneis, o governo já fez os levantamentos necessários para que as regularizações ocorram no próximo ano. “Nós já fizemos todos os levantamentos junto às áreas rurais, com todas as famílias que residem nessas áreas, toda a parte de demarcação também já foi feita. Temos pelo menos 45 mil famílias que vivem nessa irregularidade. São áreas espalhadas por todo o Distrito Federal”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação