Saúde

Covid-19: programa de hospedagem para profissionais de saúde não será renovado

A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde. Profissionais que estão na linha de frente de combate à covid-19 reclamam da decisão

Thais Umbelino
postado em 23/09/2020 21:00
 (crédito: Breno Esaki / SES)
(crédito: Breno Esaki / SES)

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou, nesta quarta-feira (23/9), que não vai renovar o Programa Acolher, iniciativa responsável por hospedar profissionais de saúde que atuam na linha de frente de combate à covid-19.

“A Secretaria de Saúde informa que, tendo em vista o declínio da curva epidemiológica da covid-19 no Distrito Federal, não vai prorrogar o programa acolher, firmado em parceria com a Secretaria de Turismo (Setur)”, informou a pasta, em nota.

A notícia foi recebida com indignação pelos profissionais da área. “Se não fôssemos atender pacientes com coronavírus até seria viável essa decisão, mas ainda tem muitos pacientes internados e também muitas pessoas se contaminando”, lamentou uma técnica de enfermagem, que preferiu não se identificar.

Antes da pandemia, a profissional morava com o pai e precisou sair devido à idade avançada dele. “Desde fevereiro que ele não sai de casa. Tem pavor da doença. E com o cancelamento do programa eu não vou poder voltar para casa”, declarou.

A iniciativa, uma ação integrada das secretarias de Saúde (SES) e de Turismo, foi lançada em meados de maio com objetivo de hospedar os profissionais de saúde e, com isso, diminuir as chances de possíveis contaminações dos familiares deles ao voltarem para casa, depois do trabalho. Ela chegou a ser prorrogada por mais 30 dias, após profissionais da saúde serem avisados de que deveriam deixar hotel em 3 de julho.

Anonimamente, uma profissional do Hospital Regional da Asa Norte também lamentou a decisão. "Hoje, temos 182 pacientes internados na unidade e continuamos na linha de frente. A pandemia não acabou e o Hran será o último hospital a deixar de ser covid-19", lamentou a profissional. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação