FUNDO FEDERAL

Acordo inédito dará acesso a crédito de R$ 521 milhões para turismo do DF

Credenciamento do Banco de Brasília (BRB) junto ao Ministério do Turismo permitirá oferta de linhas de crédito para empresários do setor. Ação visa auxiliá-los no período de recuperação econômica

Jéssica Eufrásio
postado em 14/12/2020 23:48 / atualizado em 15/12/2020 16:02
Benefícios devem alcancar desde microempreendedores individuais (MEIs) até grandes empresas -  (crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press   )
Benefícios devem alcancar desde microempreendedores individuais (MEIs) até grandes empresas - (crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press )

A Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF), o Ministério do Turismo (MTur) e o Banco de Brasília (BRB) vão assinar, nesta terça-feira (15/12), o credenciamento da instituição financeira no Fundo Geral de Turismo (Fungetur). A medida é inédita e permitirá que empresas do ramo turístico tenham acesso a uma linha de crédito de R$ 521 milhões. A cerimônia para fechamento do acordo ocorre às 10h, no Salão Branco do Palácio do Buriti.

O credenciamento colocará o Distrito Federal como um destino turístico consolidado, segundo o Executivo local. A expectativa é de que a ação beneficie empresas de diferentes portes durante a fase de recuperação da crise econômica provocada pela pandemia da covid-19.

O Fungetur oferecerá a empresários do setor registrados no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur) acesso a linhas de crédito com taxas menores que as praticadas no mercado, além de financiamentos de capital de giro ou para compra de bens e promoção de obras.

O cadastro junto ao fundo federal faz parte das ações do MTur para impulsionar a retomada das atividades turísticas no país. Ao todo, a linha de crédito do Fungetur para o setor alcança R$ 5 bilhões. A expectativa é de que o acesso aos benefícios alcance desde microempreendedores individuais (MEIs) até as grandes empresas do setor.

Inscrição

O Fungetur surgiu em 1971, mas a liberação dos recursos consta em medida provisória publicada no Diário Oficial da União (DOU), em 8 de maio. A taxa de juros do fundo é de 5% ao ano (a.a.), somada à Selic— taxa básica do país, atualmente, em 2% a.a. Até dezembro, o Ministério do Turismo disponibilizou mais de R$ 3,9 bilhões em crédito. As linhas alcançaram mais de 2,8 mil empresas, em 15 estados. A maior parte dos contratos (82%), fechados pelas 25 instituições financeiras credenciadas, destinou-se a capital de giro.

O DF conta com 2,2 mil empresas registradas no Cadastur, com aumento de 150% nos últimos dois anos, segundo dados de 10 de dezembro divulgados pela Setur. Para saber as condições de financiamento, é necessário contatar o gerente da instituição financeira. Os recursos devem ser usados para projetos, equipamentos e capital de giro. Para conseguir acesso, é preciso estar com situação "regular" ou "em implantação" no cadastro do MTur.

Confira as áreas das empresas que poderão acessar as linhas de crédito:

  • Acampamento turístico;
  • Agências de turismo;
  • Meios de hospedagem;
  • Parques temáticos;
  • Transportadora turística;
  • Casas de espetáculos e equipamentos de animação turística;
  • Centro de convenções;
  • Empreendimento de apoio ao turismo náutico ou à pesca desportiva;
  • Empreendimento de entretenimento e lazer e parques aquáticos;
  • Locadora de veículos;
  • Organizador de eventos;
  • Prestador de serviços de infraestrutura de apoio a eventos;
  • Prestador especializado em segmentos turísticos;
  • Restaurantes, cafeterias ou bares.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE