Pandemia

Fiscalização acaba com festa que duraria 4 dias, em hotel fazenda no Gama

Os responsáveis foram multados em mais de R$35 mil reais. Agentes identificaram diversas violações aos protocolos de combate à covid-19

Correio Braziliense
postado em 02/01/2021 11:16
 (crédito: Divulgação/PMDF)
(crédito: Divulgação/PMDF)

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), juntamente da Secretaria de Proteção à Ordem Urbanística (DF Legal), dispersou, no início da noite da última sexta-feira (1º/1), a festa de ano novo Brave Party, que prometia durar quatro dias em um hotel fazenda na área rural do Gama.

A ação, que aconteceu às margens da BR-060, interditou o Hotel Fazenda Brasília. Foram encontradas violações aos protocolos de combate à covid-19, como falta de máscara, falta de autorização para a realização de evento com música, e falta de alvará para produção de festas desse porte.

Segundo informações da PMDF, os responsáveis pela Brave Party foram multados em mais de R$ 35 mil reais. A equipe de policiais foi ao local após denúncias de que a festa teria duração de três dias. De acordo com a corporação, o local não tinha autorização para realizar esse tipo de evento. No local foi encontrada grande aglomeração de pessoas. Após a operação, com ajuda do policiamento, o público foi dispersado.

Ações de fiscalização

Para coibir as aglomerações durante a virada do ano, Secretaria DF Legal, polícias Civil e Militar e o Departamento de Trânsito (Detran-DF) deflagraram a Operação Réveillon. Mais de 200 estabelecimentos foram vistoriados, dos quais sete foram fechados por desobedecerem as normas sanitárias, seis acabaram interditados, seis receberam multas e um foi notificado. No total, cinco equipes se dividiram em cinco áreas do DF para realizar a ação, que também flagrou festas clandestinas, realizadas em locais sem autorização.

Em Taguatinga, houve até confronto com a Polícia Militar. Segundo informações da PMDF, ao chegar no local, havia uma aglomeração com cerca de 80 pessoas. No momento que os policiais solicitaram que o grupo diminuísse o volume do som, um homem teria entrado na viatura e arrancado o rádio para viatura.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE