Manifestação

Motoristas de aplicativos fazem protesto contra aumento de combustível

Os condutores se manifestaram na tarde desta segunda-feira em frente à Câmara Legislativa do Distrito Federal. Além de aumento do combustível, categoria reclama da baixa remuneração

Edis Henrique Peres
postado em 22/02/2021 18:17 / atualizado em 23/02/2021 22:37
Felipe Taylor foi um dos manifestantes contra o aumento do combustível e a baixa remuneração dos aplicativos aos motoristas -  (crédito: ED Alves                 )
Felipe Taylor foi um dos manifestantes contra o aumento do combustível e a baixa remuneração dos aplicativos aos motoristas - (crédito: ED Alves )

Na tarde desta segunda-feira (22/2), motoristas de aplicativos como Uber, 99, Ifood e Indriver se reuniram em frente à Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) para reivindicar por preços mais justos no combustível. A carreata começou por volta das 14 horas.

Os condutores dos veículos também ressaltaram que, mesmo com o aumento do preço dos combustíveis, os aplicativos não melhoraram as condições de pagamento. Felipe Taylor Figueiredo, de 27 anos, já trabalha na Uber há um ano e conta que situação está complicada.

"O valor da tarifa para gente está muito baixo, estamos rodando muito e recebendo pouco. O carro tem manutenção de pneu, de óleo, de freio, e ganhamos apenas R$0,87 por quilômetro rodado. Com o preço da gasolina como está não tem como manter a manutenção do carro e ainda levar comida para dentro de casa. Queremos apenas ser valorizados”, ressalta Felipe.

Também Jefte Mato dos Reis, 24, e motoboy do ifood há um ano e meio, relata as mesmas dificuldades. “O governo aumentou o preço do combustível e todo mundo está passando por sufoco. Nosso questionamento é o motivo desses aumentos a um preço totalmente abusivo. A gente teve que vir à rua para lutar por nossos direitos”, explica

Ao chegar na CLDF, o líder do movimento dos motoristas do DF, Manoel Scooby, se reuniu com a deputada Julia Lucy (Novo). Segundo informações de Scooby, a expectativa é que a Câmara organize uma audiência pública para que os motoristas possam apresentar as reivindicações da categoria.

Após conclusão da reunião na Câmara, os manifestantes prosseguiram com a carreata até o centro de atendimento da Uber em Brasília, no Setor Comercial Sul. A manifestação continuou até o aeroporto da capital do país. Contudo, outro movimento também é previsto para o dia 17 de março, desta vez em nível nacional.

Posicionamento das empresas de aplicativo

Procuradas pelo Correio, o iFood declarou que trabalha constantemente para melhorar a experiência dos entregadores que utilizam sua plataforma. “Neste momento, o iFood está em contato com empresas do segmento de combustíveis a fim de viabilizar parceria por meio do iFood Delivery de Vantagens, programa que oferece aos entregadores descontos em serviços e produtos”.

Segundo a empresa, alguns outros serviços fazem parte do segmento, como seguro para motos, manutenção, eletrodomésticos e vestuário. O iFood também informou que continua comprometido a criar iniciativas para melhorar a experiência dos entregadores.

A Uber também prestou esclarecimentos e disse que há dois anos lançou o Uber Pro, um programa de vantagens para parceiros, no qual pagando o combustível por aplicativo, o motorista teria direito a 4% de cashback.

A empresa também lançou o Uber Conta, uma conta digital exclusiva para motoristas e entregadores parceiros, livre de anuidade e com saques e transferências gratuitas todos os meses. “Criamos também o Uber Chip, o primeiro plano pré-pago que permite usar o aplicativo Uber Driver sem descontar dados da franquia de internet móvel”, finaliza.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE