PANDEMIA

Covid-19: DF registra nove mortes e 951 novos casos em 24 horas

A média móvel da doença cresceu ao longo da última semana, de 569, para 742. Já o número de mortes apresenta alteração moderada em sua média móvel e se mantém em 9,86

Edis Henrique Peres
postado em 22/02/2021 20:15 / atualizado em 22/02/2021 21:59
 (crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
(crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O Distrito Federal registrou nesta segunda-feira (22/2) 9 mortes causadas pela covid-19. As informações são do boletim da Secretaria de Saúde (SES-DF). Além disso, foram registrados 951 novos casos nas últimas 24 horas, totalizando 290.771 pessoas já contaminadas pela doença na capital do país. Do total de casos, 280.483 (96,5%) estão recuperados. Já o número total de mortes é de 4.766 (1,6%).

Com os novos registros, a média móvel de casos dos últimos sete dias da covid-19 no DF aumentou para 742. Na última terça (16/2), a média móvel de casos estava em 569. A média de mortes também apresentou leve alta, mas se mantém estável desde o domingo (21/2), com a marca de 9,86.

A SES-DF informa que, desde o início de dezembro de 2020, o número de casos e mortes possui oscilações com tendência de alta. A pasta ressalta que as quedas observadas nas últimas duas semanas podem ser explicadas pelos casos e óbitos ainda em investigação, considerando o tempo de captação, registro e atualização de informações.

A média de idade do total de casos confirmados é de 39 anos. Em relação às regiões administrativas com o maior número de casos da covid-19, Ceilândia lidera o ranking, com 31.926 casos registrados, seguida por Plano Piloto, com 27.253 casos, e Taguatinga, 23.398 casos.

Vacinação

No DF, o número de imunizados com a 1° dose de vacina até 19 de fevereiro foi de 115.369 pessoas. Com a 2° dose, 19.525. Ao todo, a unidade federativa já recebeu 204.060 doses de vacinas, entre a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac; e a Covishield, desenvolvida pela universidade inglesa de Oxford, com a farmacêutica sueco-britânica AstraZeneca.

A SES-DF reforça que devido à Coronavac ter sua 2° dose entre 14 a 28 dias, metade das vacinas recebidas pelo governo são reservadas para a segunda aplicação. Além disso, cerca de 5% do total de imunizantes recebidos são reservados para repor eventuais perdas.

Balanço

Público vacinado com a primeira dose até sexta-feira (19/2):

60 anos ou mais em instituições de longa permanência — 1.582

Deficientes institucionalizados — 150

Trabalhadores da saúde — 60.514

Indígenas — 97

Pessoas com mais de 80 anos — 47.063

Pessoas de 75 a 79 anos — 5.533

Pacientes do home care e Núcleo de Atenção Domiciliar (Nrad) — 430

Público vacinado com a segunda dose até sexta-feira (19/2):

60 anos ou mais em instituições de longa permanência — 609

Deficientes institucionalizados — 107

Trabalhadores da saúde — 18.759

Indígenas — 26

Pessoas com mais de 80 anos — 24

Pessoas com 75 a 79 anos — 0

Pacientes do home care e Núcleo de Atenção Domiciliar (Nrad) — 0

Pessoas abaixo de 79 anos que não estejam em instituições de longa permanência nem sejam pacientes acamados não são vacinadas neste momento.

Ocupação dos leitos

Os dados da SES-DF também informam que 89,36% dos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de adultos, pediátricos e neonatais, destinados para a covid-19, estão ocupados. A média de internação dos pacientes é em sua maioria de 15 dias (72,95%).

No entanto, 14,63% dos internados permanecem na UTI entre 16 e 30 dias e 12,59% ficam internados por mais de um mês.

Colaborou Samara Schwingel

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE