Obituário

Morre o empresário Orédio Alves de Rezende, vítima da covid-19

Pioneiro, Orédio Alves de Rezende chegou na capital em 1957 e fundou a primeira rede de autopeças

Luana Patriolino
postado em 05/04/2021 18:40 / atualizado em 05/04/2021 19:10
Orédio Alves Rezende chegou na capital em 1957 e fundou a primeira rede de autopeças de Brasília -  (crédito: Divulgação/Arquivo pessoal)
Orédio Alves Rezende chegou na capital em 1957 e fundou a primeira rede de autopeças de Brasília - (crédito: Divulgação/Arquivo pessoal)

O empresário Orédio Alves de Rezende morreu, nesta segunda-feira (5/4), aos 85 anos, vítima de complicações pulmonares causadas pela covid-19. Pioneiro, ele foi o responsável pela estruturação da primeira rede de autopeças de Brasília – a Induspina Autopeças, na antiga Cidade Livre, em junho de 1958. A loja segue em atividade até hoje, na 514 Sul.

Filho caçula do empresário, o jornalista Flávio Resende, 43 anos, destaca a importância do pioneiro para a capital federal. “Ele chegou em Brasília com 22 anos, em 1957. No ano seguinte, ele trouxe de Anápolis a Induspina, que está aberta até hoje. Atualmente, só tem uma loja, mas já tiveram oito”, conta Flávio.

Orédio faleceu no Hospital Alvorada, na Asa Sul. Há dez anos lutando contra dois cânceres (linfomas nas células do manto e na bexiga), o pioneiro testou positivo para o novo coronavírus. Hospitalizado por 50 dias, depois de sentir dificuldades para respirar, precisou ser encaminhado para a UTI várias vezes.

Flávio Resende comenta a luta do pai pela vida. “Uma questão da perseverança. Ele atravessou dois cânceres nos últimos dez anos e fez um tratamento experimental em Goiânia. Era um câncer muito raro. Foi muito difícil todo esse processo do tratamento”, conta.

O velório está marcado para esta terça-feira (6/4), a partir das 13h, na Capela 6 do Cemitério Campo da Esperança. O sepultamento será às 15h30. O pioneiro deixa a esposa, Ana Rosa Silveira, de 66 anos, três filhos, 12 netos e seis bisnetos.

Filme
O empresário teve sua vida contada no filme O legado de um pioneiro, lançado em outubro de 2019. O documentário foi dirigido por Rafael Pires e concebido, roteirizado e produzido pelo filho do protagonista, o jornalista Flávio Resende. “O nome O legado de um pioneiro tem a ver como eu vejo a caminhada dele nesse mundo. Ele deixou muitos ensinamentos para as pessoas que conviveram com ele”, diz Resende.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE