Violência Doméstica

Polícia prende homem que ameaçou companheira com foice em Vicente Pires

Ao chegar em casa bêbado, o homem golpeou o sofá com uma foice para intimidar a mulher. As agressões foram presenciadas pelos sete filhos do casal.

Edis Henrique Peres
postado em 30/04/2021 11:04 / atualizado em 30/04/2021 14:24
Homem usou foice para ameaçar a companheira -  (crédito: Divulgação/PCDF)
Homem usou foice para ameaçar a companheira - (crédito: Divulgação/PCDF)

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, na manhã desta quinta-feira (29/4), um homem de 38 anos que usou uma foice para ameaçar a companheira. Ele foi preso em flagrante após agredir, ameaçar e injuriar a mulher na presença dos sete filhos do casal. Ela relatou para a PCDF que os dois estavam em união estável há 13 anos, mas que, desde o começo do relacionamento, sofria com ameaças e agressões do marido.

Os policiais da 38º Delegacia de Polícia (Vicente Pires) foram acionados para atender um caso de importunação sexual de um vizinho. Ao chegarem na casa da vítima, situada na Vila São José, a mulher contou à PCDF que não havia ocorrido nenhuma importunação sexual de seus vizinhos, mas que inventou a história para atrair alguma viatura ao local.

Segundo o depoimento da mulher, o marido chegou em casa por volta das 22h de quarta-feira (28/4), bêbado e nervoso devido a boatos da vizinhança de que ele teria tido relações sexuais com outro homem. Irritado, ele agrediu a esposa e, em seguida, pegou uma foice para ameaçá-la. Para intimidá-la, o homem golpeou o sofá da sala com o objeto.

Os filhos do casal confirmaram o relato da mãe e mostraram para os agentes o local no qual estava guardada a foice. O homem foi preso e permanece à disposição da justiça. Somados os crimes de ameaça e injúria, as penas podem alcançar de 3 meses a 1 ano de prisão.

Como a vítima não tinha com quem deixar os filhos, que têm entre 6 meses e 13 anos, eles também foram levados para a delegacia e tiveram acesso a brinquedoteca do local. A PCDF também providenciou café da manhã para as crianças e organizou doação de roupas e brinquedos usados. Com o fim dos procedimentos policiais, a mulher e os filhos foram levados para casa e receberam também almoço dos agentes. 

 

Ciclo da Violência

Em 1979 a psicóloga norte-americana Lenore Walker criou o termo ciclo da violência doméstica para identificar padrões abusivos em uma relação afetiva. O ciclo é composto por três fases que se repetem. A primeira se refere ao chamado “aumento de tensão”, quando o agressor demonstra irritação com assuntos irrelevantes, apresenta acessos de raiva, humilha e faz ameaças. Na maioria dos casos, a vítima se culpa pelo comportamento do agressor.

A segunda fase é chamada de “ataque violento”, momento no qual o agressor perde o controle e materializa a tensão da primeira fase. Vale lembrar que as agressões não são apenas físicas ou verbais. A violações podem ser psicológicas, morais, sexuais e patrimoniais.

Por último, vem a fase chamada de “lua de mel”, quando o companheiro demonstra arrependimento, diz que o episódio não vai se repetir e busca reconciliação. O agressor torna-se carinhoso e altera algumas atitudes. O ciclo se repete até que os espaço de tempo entre uma agressão e outra se tornem menores e a violência, cada vez mais grave.

Devido a esse ciclo, a professora do serviço social da Universidade Católica de Brasília e doutora em psicologia social, Adelina Almeida de Araújo, explica que um quadro de violência costuma durar entre 10 e 12 anos. “A situação acorrenta as mulheres. O ciclo de violência demora para ser reconhecido e para ser superado. Geralmente, depois das agressões, o homem pede perdão, faz juras, justifica que não vai acontecer de novo. Isso se repete até que o tempo entre uma violência e outra se torna mais curto, e cada vez as agressões ficam mais graves”, destaca.

Como pedir ajuda?

Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
Telefone: 180 (disque-denúncia)

Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos
Telefone: 100

Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)
Entrequadra 204/205 Sul - Asa Sul
(61) 3207-6172

Centro de Atendimento à Mulher (Ceam)
De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h
Locais: 102 Sul (Estação do Metrô), Ceilândia, Planaltina

Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid) da Polícia Militar
Telefones: (61) 3910-1349 / (61) 3910-1350

  • Casal está em união estável há 13 anos e têm sete filhos entre 6 meses e 13 anos
    Casal está em união estável há 13 anos e têm sete filhos entre 6 meses e 13 anos Foto: Divulgação/PCDF
  • Para intimidar a mulher, o homem de 38 anos golpeou o sofá da sala com a foice
    Para intimidar a mulher, o homem de 38 anos golpeou o sofá da sala com a foice Foto: Divulgação/PCDF
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE