Coronavírus

Covid-19: vacinação para idosos continua neste fim de semana; confira locais

Depois de quase quatro meses de espera, integrantes do último grupo de idosos do Distrito Federal começaram a receber doses de imunizantes contra a covid-19. Público-alvo é formado por mais de 50,5 mil pessoas

Samara Schwingel
Larissa Passos
postado em 01/05/2021 06:00
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

Pouco mais de três meses após o início da vacinação contra a covid-19 no Distrito Federal, chegou a vez de o último grupo de idosos receber os imunizantes. Durante o primeiro dia da campanha para pessoas com 60 e 61 anos, nessa sexta-feira (30/4), felicidade, gratidão e ansiedade predominaram entre os recém-atendidos. Em alguns dos 54 pontos de vacinação, houve espera desde as 23h do dia anterior. Por isso, verificou-se ampla adesão, com movimento intenso principalmente pela manhã.

A aplicação continua neste sábado (1º/5) e domingo (2/5), das 9h às 17h, para todos os idosos. O atendimento ocorre em 20 pontos no sábado, e em seis, no domingo. A expectativa da Secretaria de Saúde é de imunizar, neste fim de semana, “grande parte” das pessoas com 60 e 61 anos do DF — um total de 50.507 habitantes. Apesar disso, a pasta ressalta que a campanha continuará nos próximos dias e que há unidades disponíveis tanto para a primeira dose quanto para a segunda.

Mesmo com vacinas garantidas para toda a população do novo grupo prioritário, muita gente preferiu se antecipar, como o aposentado Antônio Carlos Rodrigues, 61. Morador do Sudoeste, ele chegou ao Estacionamento nº 13 do Parque da Cidade às 4h40, acompanhado de Maria Luiza da Silva, 61, funcionária que trabalha na casa dele. “Eu queria ir logo no primeiro dia, porque fiquei preocupado que, talvez, faltasse alguma coisa”, relatou.

Após ser atendido — por volta das 9h —, Antônio Carlos ficou mais tranquilo: “Eu nem senti. Acho que esperamos tanto que, quando chega, é uma coisa que nem dói”, contou o aposentado, que perdeu um tio de Minas Gerais para a doença. “O pessoal ainda estava com aquela mania de falar que não precisava tomar a vacina e que tomaria medicamentos (sem prescrição). A doença, do mesmo jeito que o pegou, levou-o (embora) rápido”, lamentou.

Assim como Antônio Carlos, Maria Luiza contava os dias para receber a primeira dose. “A sensação é boa. Estou mais aliviada”, desabafou. Ela acrescentou que continuará a tomar todos os cuidados.

  • Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Vacinação para idosos de 60 e 61 Anos - Drive Thru do Parque da Cidade e Aguas Claras. Na foto Lusalete da Conceição.
    Lusalete da Conceição, 60 anos, servidora pública e moradora de Arniqueiras: Ed Alves/CB/D.A Press - 30/4/2021
  • Brasil. Brasilia - DF. Cidades. Vacinação para idosos de 60 e 61 Anos - Drive Thru do Parque da Cidade e Aguas Claras. Na foto Tania Maria Magalhaes.
    Tânia Maria Magalhães, 60 anos, aposentada e moradora Águas Claras: Ed Alves/CB/D.A Press - 30/4/2021
  • Brasil. Brasilia - DF. Vacinação. Jorge Queiroz, 61, morador da Asa Sul, comerciante foi à UBS da 612 Sul se vacinar contra a covid-19
    Jorge Queiroz, 61 anos, comerciante e morador da Asa Sul: Samara Schwingel/CB/D.A Press - 30/4/2021
  • 'Estou feliz em me vacinar, mas não é só sobre isso. Precisamos lembrar que temos mais de 400 mil mortos. E mortes que poderiam ter sido evitadas. É um momento feliz (pela vacinação), mas, ao mesmo tempo, triste.'

Sandra Bernardes, 60 anos, aposentada e moradora da Asa Sul
    Sandra Bernardes, 60 anos, aposentada e moradora da Asa Sul: Samara Schwingel/CB/D.A Press

Empatia

A advogada Deise Benedito, 60, mora na Asa Norte e procurou a Unidade Básica de Saúde (UBS) nº 2 da região para tomar a primeira dose. Ela está há mais de quatro meses sem ver a família, que mora em São Paulo, mas, mesmo imunizada, não pretende viajar tão cedo. “A última vez em que os visitei foi em dezembro, no Natal. Mesmo vacinada, não tenho planos de ir novamente, pois acredito que a pandemia vai demorar para acabar. E o imunizante não garante que não serei infectada, apenas que os sintomas não serão graves”, argumentou.

Além disso, Deise lembrou que, tanto a vacinação quanto a manutenção dos cuidados — como uso de máscaras, respeito ao distanciamento social e higienização das mãos — são ações com foco no coletivo e essenciais para o combate à pandemia. “Acredito que a pandemia vai até, pelo menos, março. Ainda precisamos ter muito cuidado. Por mais que eu goste de sair com amigos, com a família e de me divertir, só volto para o samba quando a OMS (Organização Mundial da Saúde) deixar”, brincou a advogada. “Eu acredito na ciência e na vacina”, completou.

Mais protegida contra a covid-19 agora, a aposentada Maria Ivanildes, 61, disse que também continuará a se cuidar. Ela esteve na UBS da 612 Sul, na sexta-feira (30/4), para receber a primeira dose do imunizante contra a doença. “Faz exatamente 60 dias que não saio de casa. Só vou ao mercado, e quando não consigo pedir o que preciso por delivery. Estou feliz com a vacinação, mas acredito que ainda vai demorar muito para sairmos da pandemia”, lamentou. Por isso, ela pretende manter os hábitos de restrição, mesmo após a segunda dose: “É um ato de cuidado comigo e com o próximo”, destacou Maria.

Movimento

A equipe do Correio esteve em cinco pontos de vacinação ao longo do dia, nessa sexta-feira (30/4). Pela manhã, no Estacionamento nº 13 do Parque da Cidade e no drive-thru do Centro Universitário Unieuro, em Águas Claras, havia movimento intenso e com filas que se estendiam por quilômetros nas vias próximas aos postos de atendimento. Por volta das 8h30, mais de 200 carros aguardavam na área do parque no Plano Piloto. A imunização estava prevista para as 9h, mas só começou às 9h30, devido ao atraso na chegada das doses.

Em Águas Claras, por volta das 10h, cerca de 80 carros aguardavam na fila do posto na Unieuro. Durante a tarde, a procura diminuiu. Na UBS nº 2 da Asa Norte, nas entrequadras 114/115, cerca de 100 pessoas aguardavam atendimento perto das 15h. A fila, organizada ao lado do ponto de aplicação das doses, fluía sem transtornos. Já na UBS nº 2 do Cruzeiro Velho, não houve registro de longas esperas, segundo funcionários. Quando a reportagem visitou o local, apenas cinco idosos se encontravam na unidade de saúde.

Onde se vacinar no fim de semana

Sábado (das 9h às 17h)

Águas Claras
» Centro Universitário Unieuro - Av. das Castanheiras, s/n, Lote 3.700
» Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (Uniplan) - Av. das Castanheiras

Ceilândia
» Sesc - QNN 27 Área Especial S/N, Ceilândia Norte
» UBS nº 5 - QNM 16, Módulo F

Eixo Monumental
» Estádio Mané Garrincha
» Torre de TV

Lago Norte
» Iguatemi Shopping - SHIN, CA 4

Parque da Cidade
» Estacionamentos nº 12 e 13

Taguatinga
» Taguaparque

Domingo (das 9h às 17h)

Águas Claras
» Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (Uniplan) - Av. das Castanheiras

Ceilândia Norte
» Sesc - QNN 27, Área Especial S/N

Eixo Monumental
» Estádio Mané Garrincha
» Torre de TV

Parque da Cidade
» Estacionamento nº 12

Taguatinga
» Taguaparque

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE