Pandemia

Covid-19: MPT defende vacinação simultânea de educadores da rede pública e privada

Procuradoras do órgão do DF afirmaram, em audiência virtual, que vão solicitar à Secretaria das Relações do Trabalho a lista de trabalhadores da rede privada para que a lista seja comparada com aquela enviada pelos estabelecimentos de ensino

Correio Braziliense
postado em 04/05/2021 18:29
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press                                     )
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press )

O Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal (MPT-DF) defendeu que, assim que iniciada a vacinação contra covid-19 dos profissionais de educação da rede pública de ensino, sejam aplicadas as doses para os profissionais da rede privada também. O MPT vai solicitar, por ofício, à Secretaria das Relações do Trabalho a lista de trabalhadores da rede privada para que a lista seja comparada com a enviada pelos estabelecimentos de ensino para a Secretaria de Saúde. Os dados dos profissionais serão mantidos em sigilo.

O pedido foi feito pelas procuradoras Carolina Mercante, Helena Fernandes, Ana Cláudia Rodrigues e Marici Coelho, em audiência virtual, com representantes do Governo do Distrito Federal (GDF), do Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep-DF) e do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF).

O Sinproep-DF manifestou preocupação sobre o tema e pontuou que as aulas presenciais na rede privada voltaram em setembro de 2020. Segundo seus representantes, houve entrevista coletiva de representantes do GDF indicando que os profissionais da rede pública seriam vacinados antes daqueles que compõem a rede privada. O Sinepe-DF também defendeu que a vacinação dos profissionais ocorra concomitantemente.

Na oportunidade, o representante da Casa Civil do GDF afirmou que está articulando com as escolas privadas para confeccionar o boletim epidemiológico do Setor e que o GDF seguirá o Plano Nacional de Imunização, em que os professores estão entre os grupos priorizados. Ele também afirmou não recordar sobre possível distinção entre os profissionais da rede pública e privada, mas não confirmou a data de início da campanha de vacinação para o grupo.

As partes presentes na audiência concordaram em dialogar diretamente com o Comitê de Gestor de Vacinação contra a covid-19, da Secretaria de Saúde do DF, a fim de propor escalonamento da vacinação dos grupos prioritários, sem distinção entre profissionais da rede pública e privada.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE