Imunização

Covid-19: DF recebe mais 64,3 mil doses de vacinas

Imunizantes serão utilizados para dar continuidade à vacinação de pessoas com comorbidades

Samara Schwingel
postado em 06/05/2021 11:17
O DF recebeu mais doses da vacina AstraZeneca, que devem ser destinadas ao grupo das pessoas com comorbidades -  (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A. Press                        )
O DF recebeu mais doses da vacina AstraZeneca, que devem ser destinadas ao grupo das pessoas com comorbidades - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A. Press )

O Distrito Federal deve receber, entre esta quinta-feira (6/5) e sexta-feira (7/5), mais 64.340 doses de vacinas contra a covid-19. De acordo com o informe técnico do Ministério da Saúde e fontes da Secretaria de Saúde local, os imunizantes serão utilizados para dar continuidade à vacinação de pessoas com comorbidades.

De acordo com a previsão do ministério, serão 50.300 doses da AstraZeneca/Oxford e 14.040 da Pfizer/BioNTech. As vacinas da Pfizer só devem começar a ser aplicadas no DF a partir da próxima semana, uma vez que precisam de uma operacionalização diferente dos outros imunizantes.

Atualmente, todo o grupo com comorbidades (veja lista abaixo) que tenha de 55 a 59 anos pode agendar a vacinação contra a covid-19 na capital federal por meio do site vacina.saude.df.gov.br. Para realizar o agendamento é necessário, antes, realizar o cadastro pelo mesmo site.

A intenção da secretaria local é vacinar este primeiro grupo até 18 de maio e, de acordo com a disponibilidade de doses, avançar nas faixas etárias de quem tem comorbidades. As gestantes e puérperas com doenças pré-existentes consideradas comorbidades também podem agendar a vacinação. As grávidas e puérperas sem alguma das doenças listadas serão atendidas após 18 de maio, na segunda fase do processo. Ainda não há uma data específica pois o GDF depende da chegada de mais doses de vacinas.

Comorbidades

» Diabetes mellitus: tipos 1 e 2;

» Pneumopatias crônicas graves: incluem asma e bronquite em condições graves; doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), inflamação causada pela limitação do fluxo de ar por inalação de toxinas, como aquelas presentes na fumaça do cigarro; enfisema pulmonar; e fibrose pulmonar;

» Hipertensão arterial resistente (HAR): o paciente tem a pressão arterial controlada por diferentes tipos de medicação;

» Hipertensão arterial estágio 3: a condição de hipertensão arterial é dividida em estágios crescentes de gravidade, conforme a faixa de pressão cardíaca;


» Hipertensão arterial estágios 1 e 2, com LOA (lesão de órgãos alvo) ou comorbidade: ocorre quando a alteração na pressão cardíaca do paciente, mesmo que não seja grave, altera a função de outro órgão;

» Insuficiência cardíaca;

 

» Cor pulmonale e hipertensão pulmonar: eleva a pressão cardíaca por alteração no pulmão, prejudicando a respiração do indivíduo;

» Cardiopatia hipertensiva: causada pela alteração da função cardíaca devido ao aumento da pressão, levando ao inchaço do coração;


» Síndromes coronarianas: presentes nas pessoas com suscetibilidade a ou que tiveram infarto;

» Valvopatias: problemas nas quatro válvulas cardíacas que impedem o retorno do sangue ao coração;

 

» Miocardiopatias e pericardiopatias: a primeira é a alteração do músculo cardíaco; a segunda envolve dificuldades na membrana que cobre o coração, como inflamações;

» Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas: envolvem pessoas sob tratamento de diálise e doenças dissecantes, como aneurisma da aorta;


» Arritmias cardíacas: alteração no ritmo dos batimentos cardíacos;

» Cardiopatia congênita no adulto: a pessoa nasce com doenças que alteram a função cardíaca, como Tetralogia de Fallot, insuficiência cardíaca, arritmias e comprometimento no miocárdio, o músculo do coração;

 

» Próteses valvares e dispositivos cardíacos: diz respeito a indivíduos submetidos a cirurgias no coração, como para inserção de marcapasso e troca de válvulas;

» Doença cerebrovascular: inclui acidente vascular cerebral (AVC) e demência vascular;


» Doença renal crônica;

» Imunossuprimidos: incluem indivíduos congenitamente com baixa produção de anticorpos, como os transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; portadoras de HIV; doenças reumáticas com uso de corticoides; pessoas em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses; e neoplasias hematológicas, causadas pela multiplicação acelerada de células sanguíneas, como leucemia;

 

» Anemia falciforme: é um tipo de anemia em que as hemácias do sangue têm forma de foice. É uma doença no sangue que atinge, em sua maioria, a população negra. A hemácia em formato diferenciado prejudica a circulação do sangue, levando a tromboses no rim, pulmão e baço, entre outros órgãos;

» Obesidade mórbida: pessoas com índice de massa corpórea (IMC) superior a 40 ou pessoas com IMC maior que 35 com disfunções orgânicas, como obesidade e hipertensão;

» Síndrome de Down;

» Cirrose hepática;

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE