Covid-19

GDF muda data e vacinação da educação vai começar na sexta

Em transmissão na noite desta quarta (19/5), o secretário Leandro Cruz confirmou o início da imunização. Algumas horas antes, Secretaria de Saúde tinha informado que vacinação do público começaria no sábado (22/5)

Ana Isabel Mansur
postado em 19/05/2021 19:14 / atualizado em 19/05/2021 19:49
 (crédito: Breno Esaki)
(crédito: Breno Esaki)

O Secretário de Educação do Distrito Federal, Leandro Cruz, afirmou, em uma transmissão nas redes sociais, que a vacinação de profissionais da Educação terá início na sexta-feira (21/5). Algumas horas antes, a Secretaria de Saúde (SES-DF) tinha informado que a imunização do público começaria no sábado (22/5). A expectativa inicial do Governo do Distrito Federal, no entanto, era de que a vacinação do grupo ocorreria a partir desta quinta (20/5). Servidores de creches serão os primeiros beneficiados.

Osnei Okumoto, secretário de Saúde do DF, confirmou ao Correio que a vacinação dos profissionais da educação terá início na sexta (21/5), "mediante lista apresentada pela Secretaria de Educação". "Só para quem está na lista", disse.

 Leandro Cruz afirmou que os primeiros profissionais contemplados serão convocados por telefone ou e-mail ao longo desta quinta-feira (20/5). A SES-DF, em nota, afirmou que "a vacinação para esse público ocorrerá [...] somente na UBS 1 do Guará, localizada na QE 6, lote C, Área Especial." 

O texto da Secretaria de Saúde informou ainda que serão mil doses de imunizantes aplicadas na sexta-feira (21/5). "O planejamento inicial [...] previa a aplicação de 300 doses no sábado. Agora, serão mil doses aplicadas na sexta contemplando trabalhadores de creches públicas e privadas. Para a primeira etapa da vacinação dos profissionais da Educação serão destinadas 5 mil doses de imunizantes, que serão aplicadas ao longo da semana."

Logística

Segundo o secretário de Educação Leandro Cruz, a vacinação será no modelo drive-thru. "Quem chegar a pé também será vacinado, mas quem puder vá de carro. O objetivo é que não tenha aglomeração, as pessoas serão convocadas por horário e dia, de acordo com a capacidade de vacinação do posto. É preciso respeitar o horário e não chegar antes", completou o secretário.

Ainda de acordo com o chefe da pasta, a imunização não ocorrerá no sábado e domingo, mas terá continuidade no decorrer da próxima semana. As mudanças de data foram justificadas pelo secretário por causa de questões logísticas. "Podemos vacinar 50 mil pessoas em um fim de semana, a questão está sempre atrelada à oferta dos imunizantes. Faremos convocação dos trabalhadores, não é simplesmente por inscrição ou agendamento. Esse modelo de imunização, por segmento e série, é para permitir a abertura das escolas", esclareceu, acrescentando que as faixas contempladas na vacinação subirão gradativamente até o ensino superior.

Em relação aos documentos necessários, Leandro Cruz informou que mais informações serão dadas na quinta (20/5), mas devem incluir RG, contracheque, carteira do sindicato e crachá da escola. Para a rede pública, provavelmente será pedido o RG, que é vinculado à matrícula do profissional. "Serei vacinado com a última dose disponível para a classe da educação", afirmou o secretário, relembrando dos 20 dias em que esteve internado em unidade de terapia intensiva, com covid-19.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE