Investigação

PM é preso suspeito de vender armas e munições para criminosos do DF

Segundo a PCDF, o policial militar da reserva escondia as munições na casa da namorada, em Samambaia. Investigações seguem no sentido de identificar se o PM integra alguma associação criminosa

Darcianne Diogo
postado em 27/05/2021 16:14
No total, 648 munições foram apreendidas pela PCDF -  (crédito: PCDF/Divulgação)
No total, 648 munições foram apreendidas pela PCDF - (crédito: PCDF/Divulgação)

A Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais da Polícia Civil do Distrito Federal (Corpatri/PCDF) prendeu, na manhã desta quinta-feira (27/5), um policial militar da reserva acusado de vender armas de fogo e munições para criminosos da capital. A namorada do PM também foi autuada por posse irregular de munição.

A investigação durou cerca de quatro meses. Ao longo desse tempo, os policiais descobriram que o acusado estava envolvido em um esquema de venda de munições. Para despistar a polícia, o investigado escondia os produtos ilícitos na casa da namorada, em Samambaia. “No local, encontramos munições de diversos calibres, totalizando 648 munições”, afirmou a delegada à frente do caso, Camila Bessas, da Corpatri.

Produtos estavam na casa da namorada do PM, em Samambaia
Produtos estavam na casa da namorada do PM, em Samambaia (foto: PCDF/Divulgação)

Segundo a delegada, as investigações seguem no sentido de identificar se o PM aposentado integra alguma associação criminosa voltada ao comércio irregular de armas de fogo e munição. Procurada pela reportagem, a PMDF informou que a Corregedoria-Geral da PM em conjunto com a Corpatri trabalha no inquérito que investiga o envolvimento do policial. “A investigação ainda está em decurso e é preciso aguardar as conclusões”, afirmou a corporação em nota.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE