Crime

Buscas por Lázaro Barbosa mobilizam mais de 200 policiais; suspeito foi visto neste domingo

Os caseiros estavam com facões e foices e foram fechar a porteira da chácara, em Cocalzinho, quando se depararam com Lázaro, que fugiu para uma mata fechada próxima ao local

Darcianne Diogo
postado em 13/06/2021 17:13
Buscas por Lázaro Barbosa mobilizam mais de 200 policiais -  (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
Buscas por Lázaro Barbosa mobilizam mais de 200 policiais - (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

Mais de 200 policiais do Distrito Federal e de Goiás participam das buscas pelo suspeito de assassinar uma família em Ceilândia Norte e balear três pessoas em Cocalzinho de Goiás. Por volta das 8h deste domingo (13/6), três caseiros de uma chácara afirmaram aos policiais que se depararam com o criminoso.

Os caseiros estavam com facões e foices e foram fechar a porteira, quando se depararam com Lázaro, que fugiu. Segundo os funcionários, o homem entrou em uma mata fechada próxima ao local. Forças de segurança montaram uma base no trevo de Cocalzinho. São policiais militares e civis do DF e Goiás, rodoviários federais, penais, federais e Corpo de Bombeiros.

Lázaro Barbosa ateou fogo em uma casa na noite deste sábado (12/6), em Cocalzinho. Antes disso, por volta das 19h de ontem, o homem invadiu uma chácara e baleou três homens.

Conforme noticiado pelo Correio em primeira mão, Lázaro passou a tarde em uma chácara próximo à Lagoa Samuel, onde manteve um caseiro de refém. Segundo a PMDF, o imóvel pertence a um soldado da corporação. A reportagem encontrou a mãe do caseiro em frente ao Hospital Municipal Jair Paiva. “Amarrou meu filho, o obrigou a cozinhar e a fumar maconha”, contou a senhora, sem preferir revelar o nome.

Lázaro teria, ainda, ingerido bebida alcoólica, destruído o carro do rapaz e cortado os fios de wi-fi. Pouco depois disso, por volta de 19h, o suspeito invadiu outra residência, baleou três pessoas, roubou duas armas e munições. Thiago conversou com o Correio enquanto estava saindo do hospital de Cocalzinho e contou que o rapaz chegou atirando. “Estava com meus dois amigos e ele entrou metendo bala. Os dois colegas estão em estado grave no Hospital de Anápolis e eu levei um tiro na perna”, disse.

Os crimes não pararam por aí. Às 23h30, enquanto a reportagem saía de Cocalzinho, policiais foram acionados para uma ocorrência de incêndio em uma residência na região. A vítima contou que Lázaro ateou fogo na casa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE