Crime

Lázaro fez seis reféns em fazenda de Cocalzinho (GO) no sábado (12/6)

Policial do Batalhão das Rondas Ostensivas Táticas de Goiás (Rotam-GO) afirmou ao Correio que o suspeito manteve quatro homens, uma mulher e uma criança em cárcere privado. "Ele ficava abraçando a criança (um menino)", conta

Pedro Marra
postado em 18/06/2021 20:35 / atualizado em 19/06/2021 00:25
Criminoso estragou imóveis e quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns -  (crédito: Material cedido ao Correio)
Criminoso estragou imóveis e quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns - (crédito: Material cedido ao Correio)

Um policial do Batalhão Rondas Ostensivas Táticas de Goiás (Rotam-GO) relatou ao Correio que o assassino foragido da polícia Lázaro Barbosa de Souza, 32 anos, manteve seis pessoas reféns em uma fazenda de Cocalzinho (GO), no sábado (12/6), e não três, conforme divulgado anteriormente. Por cerca de sete horas, quatro homens, uma mulher e um menino, de aproximadamente 5 anos, ficaram sob controle do criminoso. "Ele ficava abraçando a criança", diz o tenente Bruno Alves, policial do Batalhão da Rotam de Goiás.

Quando Lázaro chegou na fazenda, por volta das 13h, fez o caseiro cozinhar para ele. "A gente chegou na propriedade com tudo revirado. Era uma fazenda com todas as janelas abertas e quebradas. O veículo do caseiro estava ligado, com as portas abertas, e o vidro da frente do veículo quebrado. Também havia um facão ao lado do veículo", descreve o policial.

Ainda de acordo com o tenente Bruno Alves, quatro militares da Rotam-GO chegaram ao local por volta das 18h para procurar o criminoso, que deixou um gás aberto e quebrou como copos e pratos. Um familiar do dono da fazenda, que não quis ser identificado, diz que há um fogão industrial na residência. “Acredito que ele pegou o gás para atear fogo na casa”, afirma o parente, que confirma os relatos do militar.

"Ele colocou três celulares das vítimas de crimes anteriores dentro de uma pia. Quando a gente foi fazer a varredura na fazenda, ouvimos três disparos de arma de fogo, e o caseiro ficou sumido. Não achamos o caseiro quando fomos fazer a varredura atrás da casa" complementa o tenente Alves.

Neste momento, o militar detalhou que Lázaro trocou tiros com os policiais da Rotam-GO. "Entramos na mata e uma outra equipe da Rotam de Goiás (seis policiais) foi para um canto. Essa nossa equipe foi em direção à propriedade vizinha. Quando eles foram para o mato, avistaram Lázaro, que estava com uma roupa escura e chapéu preto de caçador. Quando a equipe jogou a luz da lanterna nele, ele se assustou e efetuou vários disparos contra a equipe", afirma o policial sobre o momento em que o criminoso fugiu pela mata.

 

O familiar do dono da fazenda relatou que após Lázaro atingir os três homens, colocou todos na sala da residência. “Quando Lázaro fez o caseiro de refém, amarrou as mãos dele para trás e o fez levar a mochila (do suspeito) em uma mão, e um galão de gasolina na outra. A todo momento, ele falava que a gasolina que ele estava levando para uma propriedade vizinha era para atear fogo na casa com todo mundo dentro. Não sei se ele pegou a gasolina na fazenda, mas que ele chegou com ela na mão”, relata.

Reféns seminus

O suspeito de cometer uma série de assassinatos no DF e Entorno ainda deixou quatro moradores da fazenda seminus. "Ele correu para trás da casa da fazenda, e quando nos aproximamos vimos três homens baleados. Eles estão internados em estado grave, em um hospital de Anápolis. Todos estavam seminus, de cueca, e uma mulher moradora da casa apenas de calcinha. Ele pediu pra ele preparar comida para ele. Encontramos uma panela com arroz”, acrescenta o tenente Bruno Alves.

Segundo o policial, por volta das 23h, a equipe da Rotam-GO soube que o criminoso havia ateado fogo na casa de um homem em Cocalzinho. “Ele ainda falava para o caseiro que era o dia da oferenda, e que iria matar o caseiro. A mulher relatou que ele pediu para as vítimas tirarem as roupas, efetuou três disparos em cada uma e se gabou de como era rápido”, complementa o tenente.

Estado vegetativo

Em abril do ano passado, Lázaro deixou um idoso em estado vegetativo, após espancá-lo com uma machadada na cabeça. O crime foi denunciado pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO). Noite de 8 de abril de 2020, Lázaro invadiu uma chácara no Bairro Antinha de Baixo, em Santo Antônio do Descoberto (GO) e, armado com um facão, roubou R$ 500, um revólver calibre 38 e os celulares de três pessoas, todas com mais de 60 anos. As informações constam no processo ao qual o Correio teve acesso.

As vítimas jogavam dominó na varanda da chácara quando foram surpreendidas pelo criminoso. De repente, a energia da casa acabou, momento em que Lázaro entrou no imóvel e chegou colocando um facão no pescoço de um dos idosos, dizendo: “Perdeu, perdeu, mãos para cima!”, revelou a denúncia do MP.

Agressivo, o homem ordenou que todas as vítimas ficassem de pé, com as mãos para o alto e as levou para dentro de um dos quartos, obrigando-as a se deitarem de bruços. Segundo o Ministério Público, ele ameaçou os idosos dizendo que iria matá-los caso não entregassem armas e dinheiro. "A fim de causar maior terror psicológico às vítimas, o denunciado sempre dizia que mataria primeiro as mulheres, para que os homens vissem a morte das esposas", consta na denúncia.


  • Criminoso quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns
    Criminoso estragou imóveis e quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns Material cedido ao Correio
  • Criminoso quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns
    Criminoso estragou imóveis e quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns Material cedido ao Correio
  • Criminoso quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns
    Criminoso estragou imóveis e quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns Material cedido ao Correio
  • Criminoso quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns
    Criminoso estragou imóveis e quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns Material cedido ao Correio
  • Criminoso quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns
    Criminoso estragou imóveis e quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns Material cedido ao Correio
  • Criminoso quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns
    Criminoso estragou imóveis e quebrou vidros da casa de uma fazenda, onde manteve reféns Material cedido ao Correio
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE