PARCERIA

Capivaras da Orla do Lago Paranoá serão monitoradas pelo GDF

Acordo de R$ 252 mil será feito em parceria com a Universidade Católica de Brasília, a pedido da comunidade

Mariane Rodrigues
postado em 05/07/2021 13:15 / atualizado em 05/07/2021 13:15
 (crédito: Zuleika de Souza/CB/D.A Press - 5/11/13)
(crédito: Zuleika de Souza/CB/D.A Press - 5/11/13)

A Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal (Sema), em parceria com a Universidade Católica de Brasília, assinou um termo para identificação e monitoramento da população de capivaras na orla do Lago Paranoá.

Os recursos públicos envolvidos são de R$ 252 mil de acordo com a publicação no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). A execução do plano de trabalho terá duração de um ano e a parceria será de 13 meses.

A ouvidoria do GDF foi acionada por moradores da região, em pedido para a realização de ações para a proteção à comunidade e dos animais domésticos que frequentam o local.

Em fevereiro deste ano, um homem foi atacado por um capivara no Setor de Hotéis de Turismo Norte (SHTN), às margens do Lago Paranoá e ficou ferido na perna. 

A capivara é um animal presente em quase todos os biomas brasileiros e é uma espécie protegida por lei, segundo o Instituto Brasília Ambiental (Ibram).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE