REDE PÚBLICA

Faltam 79 remédios nas UBSs e farmácias de alto custo do DF

Brasilienses que dependem do fornecimento gratuito de fármacos enfrentam dificuldades para continuar os tratamentos. Estão fora de estoque 48 medicamentos da Secretaria de Saúde e 31 do Ministério da Saúde

Edis Henrique Peres
Pedro Marra
postado em 23/07/2021 06:00
O garçom Cristiano Soares não encontrou o remédio amitriptilina, para ansiedade, na UBS 3, do Paranoá -  (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
O garçom Cristiano Soares não encontrou o remédio amitriptilina, para ansiedade, na UBS 3, do Paranoá - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

Os moradores do Distrito Federal sofrem com a ausência de abastecimento de diversos medicamentos nas farmácias de alto custo e nas unidades básicas de saúde (UBS) da capital do país. O Correio apurou que 48 fármacos de responsabilidade da Secretaria de Saúde (SES-DF) estão em falta nos estoques. Além deles, outros 31 princípios ativos, que deveriam ser repostos pelo Ministério da Saúde, seguem esgotados. Para a população que depende dos medicamentos para o tratamento de doenças crônicas, a falta dos remédios é um desafio. A amitriptilina, usada no tratamento de ansiedade e depressão, assim como o fenobarbital, utilizado para tratar convulsões, estão em falta na rede há, pelo menos, três meses.

Sem ter acesso pela rede pública de saúde, o garçom e morador do Paranoá Cristiano Soares, 32 anos, explica que enfrenta dificuldades. Para tratar os sintomas mais severos da ansiedade, Cristiano toma dois comprimidos, durante a noite, de amitriptilina. “Tentei pegar uma nova caixa do medicamento em abril, mas já estava em falta. Então, precisei comprar as duas na farmácia. Ele custou R$ 50, às vezes, é possível conseguir alguma promoção e achar até por R$ 30 e pouco. Mas acaba que pesa no bolso, porque ele não é o único remédio que falta nas UBSs“, conta Cristiano.

Neste mês, ele contou com a ajuda de um colega para comprar o medicamento. “Sem o remédio, eu sofro com crise de tontura, de choro. Também tem a falta de ar, a ânsia de vômito e muita tremedeira, principalmente à noite”, relata. Além dele, outra moradora do DF que não quis se identificar sofre com a falta de medicamentos. A dona de casa faz tratamento desde a década de 1990 no Hospital de Base e no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib).

“Faço acompanhamento com diversos especialistas, como psicólogo, psiquiatra, cardiologista, neuropsicólogo, endócrino, nutricionista e ginecologista. Para mim, foi a pandemia que piorou a disponibilidade dos remédios. Tem o topiramato, por exemplo, que eu preciso tomar devido à enxaqueca crônica. Faço esse tratamento há, pelo menos, 13 anos, tomando a medicação toda noite. Sem ele, a dor de cabeça fica muito forte, e as crises de convulsões podem voltar. Quando eu não o encontro na rede pública, preciso comprar. Na última vez, o achei por R$ 120”, narra.

Ela destaca que a falta dos medicamentos dificulta a vida de muitos. “Principalmente dos pacientes crônicos, que precisam de um tratamento constante. Quem não tem condição de comprar fica sem saída. Agora, devido à covid-19 e ao grande número de pessoas desempregadas, desembolsar o dinheiro para esses medicamentos caros é bem complicado”, afirma.

Em nota, a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF) explicou que a amitriptilina está em processo regular e emergencial para compras de novas unidades. Segundo a SES-DF, em 2020, houve dois fracassos nas compras do medicamento, ambos relacionados ao preço de mercado do fármaco. Já o fenobarbital teve um pedido cancelado pela própria empresa, que venceu o edital 300/2020, pois ela não tinha o produto. A pasta afirma que já existe um processo emergencial de compra.

Outros 46 medicamentos de responsabilidade da Secretaria estão esgotados no DF. São 10 remédios que estão em falta nas UBSs e 38 nas farmácias de alto custo da Asa Sul, Ceilândia e Gama. Além desses, 18 medicamentos deveriam ser fornecidos pelo Ministério da Saúde para as UBSs e 13 para a farmácia de alto custo (confira abaixo).

A SES-DF defende que todos os medicamentos em falta estão programados para serem adquiridos, e destaca: “a aquisição de alguns medicamentos é feita baseada na demanda clínica específica deste medicamento. Por exemplo, o praziquantel comprimido 600 mg é usado para tratar a esquistossomose, e o dietilcarbamazina é usado no tratamento à filariose linfática, mas o DF não tem registro dessas doenças, logo, não adquire mais estes medicamentos”.

O Ministério da Saúde informou que o abastecimento dos medicamentos, sob a responsabilidade do órgão, é feito conforme a demanda informada pela Secretaria Estadual de Saúde.

Planejamento

Para o presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SindMédico-DF), Gutemberg Fialho, o problema está no planejamento e na gestão dos estoques. “Na administração, temos algo que chamamos de estoque preventivo, usado justamente para evitar que os medicamentos faltem. E na realidade, não são apenas os das UBSs ou das farmácias de alto custo, mas faltam medicamentos em UTIs (unidades de terapia intensiva), falta relaxante muscular e todo o aparato necessário. Com isso, o profissional prescreve a medicação, mas o paciente não tem acesso, não se cura e pode até ficar com sequelas”, alerta.

Gutemberg explica que os profissionais da área de saúde se queixam constantemente da falta de estoques nas unidades. “Falam da pandemia, mas ela já está aí há quase dois anos, e até hoje não solucionaram esse problema. O caminho é simples: se tiver planejamento e boa gestão, não vai faltar”.

Roberta de Oliveira, defensora do Núcleo de Defesa da Saúde, explica que a Defensoria Pública envia ofício e ações para tentar solucionar o problema. “Em virtude dessa situação, que coloca em risco a integridade física e psíquica dos usuários desses medicamentos, temos enviado ofícios e ajuizado ações, no sentido de não deixar a população do DF desguarnecida”, pontua. Já o Ministério Público do DF e Territórios esclarece que realiza um trabalho de diagnóstico, que consiste em uma avaliação global das UBSs de todo o DF. Para a população, o órgão orienta que os moradores prejudicados procurem a ouvidoria (https://www.mpdft.mp.br/ouvidoriainternet/#/ouvidoria).

 

Palavra de especialista


“Tenho um grupo de acompanhamento de depressão em que a gente faz estudo genético na rede pública, e sabemos que a falta desses medicamentos complicam o tratamento. Já temos uma pandemia impactando na saúde mental, então imagina você precisar (do remédio) para tratar uma depressão e não ter. Isso afeta a estabilidade num momento tão delicado

São vários componentes (para a falta de medicamentos). Têm que ver medicamento a medicamento em caso específico, pois pode ter sido por falta de recurso, problema no processo de compra, que é muito burocrático, ou problema com o fornecimento. A fiscalização em cima é bem rigorosa. Vivenciei isso na Universidade de Brasília, no processo de compra. Tem determinados produtos que não têm em estoque e a gente não consegue comprar, não tem fornecedor interessado. E ultimamente a gente tem sofrido muito com a falta de recurso”.


Izabel Cristina Rodrigues, professora de Vigilância Sanitária do curso de Farmácia, da Universidade de Brasília (UnB)



Medicamentos em falta 

(atualizado na tarde desta quinta-feira)

UBSs 

SES-DF

- Tobramicina + dexametasona pomada oftálmica 0,3% +0,1% Bisnaga 3,5g - Edital fracassado por preço. Em processo de aquisição emergencial

- Tiamazol (Metimazol) comprimido 10 mg - Ata de preço recém publicada, o pedido de aquisição em fase de emissão e empenho

- Sulfadiazina comprimido 500 mg - Em processo de aquisição emergencial

- Salbutamol (Sulfato) solução para inalação 5mg/ml frasco 10ml - Editais anteriores fracassaram por preço. Em processo de aquisição emergencial

- Ranitidina xarope 15mg/ml frasco 120 ml - medicamento de difícil aquisição, padronização está sendo revista

- Medroxiprogesterona (acetato) comprimido 10 mg - editais fracassados por documentação e deserto. Em processo de aquisição emergencial

- Hipromelose solução oftálmica 3mg/ml ou 5mg/ml frasco 10 ml - Medicamento não será mais adquirido, está em fase de despadronização

- Folinato de cálcio cápsula ou comprimido - editais fracassados por preço, em processo de aquisição emergencial

- Cetotifeno solução oftálmica 0,25 mg/ml frasco 5 ml - fracasso por preço. Inserido em novo processo de compra regular

- Aciclovir pomada oftálmica 0,03g/g bisnaga 4,5g - disse que está abastecido

Ministério da Saúde

- Zanamivir Pó para inalação oral 5 mg Kit com 20 doses + aplicador

O Ministério da Saúde diz que a “Secretaria de Saúde do DF (SES/DF) não informou à pasta acerca da falta desse medicamento e o abastecimento está regular".

- Selante de Fibrina 0,5 mg frasco ampola -coagulopatias

- Selante de Fibrina 1 ml frasco ampola - coagulopatias

 - Rifampicina Suspensão oral 100 mg/5ml frasco 50 ml com dosador -tuberculose

O Ministério da Saúde diz que “enviou quantitativo suficiente conforme demanda informada pelo Distrito Federal até dezembro de 2021.”

- Rifabutina cápsula 150 mg tuberculose

O Ministério da Saúde diz que “o medicamento foi substituído pelo Levofloxacino 500mg e a pasta enviou quantitativo suficiente para atender a demanda informa pelo Distrito Federal até dezembro de 2021.”

- Praziquantel comprimido 600 mg - esquistossomose

O Ministério da Saúde diz que “não há novas solicitações para o medicamento e o abastecimento feito pela pasta é suficiente para 2021, conforme informado pela Secretaria de Saúde do DF.”

- Pirazinamida Suspensão Oral 30mg/ml frasco 150 ml com doseador tuberculose

O Ministério da Saúde diz que o remédio “foi substituído pelo medicamento pirazinamida 150 mg comprimido dispersível e o quantitativo entregue é suficiente para demanda informada até outubro de 2021.”

- Pirazinamida 150 mg comprimido dispersível - tuberculose

O Ministério da Saúde diz que “o Distrito Federal encontra-se abastecido com o medicamento, conforme demanda informada, até outubro de 2021.”

- Pentamidina (Isotionato) Solução injetável 300 mg - leishmaniose

O Ministério da Saúde diz que “foi informado pela SES-DF do estoque de 115 unidades do medicamento.”

- Pastilha de Nicotina 4mg tabagismo e pastilha de nicotina 2mg tabagismo

O Ministério da Saúde diz que “há apenas uma empresa com registro do medicamento na Anvisa e que informou não ter condições de fornecer ao Ministério da Saúde. No entanto, informa-se que os pacientes tabagistas não estão sem atendimento, uma vez que a Terapia de Reposição de Nicotina pode ser feita também por meio da Nicotina 2mg goma de mascar e dos Adesivos transdérmicos de Nicotina (7mg, 14mg e 21mg). A Secretaria de Saúde do Distrito Federal encontra-se abastecida com esses medicamentos.”

- Isoniazida comprimido 300 mg - tuberculose

O Ministério da Saúde diz que “o Distrito Federal encontra-se abastecido com o medicamento, conforme quantitativo informado até outubro de 2021.”

 Estreptomicina (sulfato) pó liofilizado para solução injetável 1g

O Ministério da Saúde diz que “o Distrito Federal encontra-se abastecido com o medicamento, conforme quantitativo informado até maio de 2022.”

- Dietilcarbamazina comprimido 50 mg - filariosis linfática

O Ministério da Saúde diz que “como se trata de um medicamento para uma doença em eliminação, não houve demanda por parte do DF nos últimos 3 anos. Contudo, o Ministério encontra-se abastecido para atender em caso de necessidade.”

- Clofazimina cápsula 100 mg - tuberculose

O Ministério da Saúde diz que “foram entregues quantitativo suficiente para atender a demanda do DF até outubro de 2021, conforme solicitado pela secretaria de saúde.”

- Blister Paucibacilar infantil - hanseníase

O Ministério da Saúde diz que “foram entregues quantitativos conforme demanda solicitada pelo DF, garantindo a cobertura até outubro de 2021.”

- Blister Multibacilar infantil hanseníase

O Ministério da Saúde diz que “foram entregues quantitativos conforme demanda solicitada pelo DF, garantindo a cobertura até novembro de 2021.”

- Benzilpenicilina benzatina suspensão injetável 1.200.000 UI Frasco Ampola

- Doxiciclina comprimido 100 mg - malária

O Ministério da Saúde diz que “esta pasta informa que encontra-se abastecida com o medicamento e que não há nenhuma solicitação pendente do medicamento para a SES/DF.”


Farmácia de alto custo

SES-DF

- Acitretina cápsula 10 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Acitretina cápsula 20 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Alfaepoetina solução injetável 4000 UI Seringa preenchida ou frasco-ampola - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Atorvastatina comprimido 10 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Atorvastatina comprimido 20 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Azitromicina comprimido 500 mg - em falta em Ceilândia e no Gama

- Bezafibrato drágea ou comprimido revestido 200 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia

- Cabergolina comprimido 0,5mg - em falta no Gama

- Ciclofosfamida comprimido revestido de liberação retardada 50 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Ciclosporina cápsula para micro emulsão ou modificada 100mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Ciclosporina cápsula para micro emulsão ou modificada 25 mg - em falta no Gama

- Ciclosporina cápsula para micro emulsão ou modificada 50mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Ciclosporina solução oral 100 mg/ml - em falta na Asa Sul, Ceilândia

- Codeína (fosfato) comprimido 30 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Danazol cápsula 100 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Desferroxamina (mesilato) pó para solução injetável 500 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Eltrombopag Olamina comprimido revestido 25mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Hidroxiurea (hidroxicarbamida) cápsula 500 mg - em falta na Asa Sul, Ceilândia e Gama

- Insulina análoga de ação rápida - em falta em Ceilândia

- Mesalazina supositório 1000 mg - em falta Asa Sul

- Mesalazina supositório 800 mg - em falta Gama

- Metadona Cloridrato comprimido 10 mg - em falta Asa Sul, Gama e Ceilândia

- Mirtazapina comprimido 30 mg - em falta Gama, Asa Sul e Ceilândia

- Mirtazapina comprimido 45 mg - em falta Gama, Asa Sul e Ceilândia

- Morfina sulfato comprimido ou cápsula 60 mg

- Morfina comprimido 10 mg - em falta Ceilândia e Asa Sul

- Morfina cápsula 100 mg - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul

- Morfina comprimido 30 mg - em falta Ceilândia e Asa Sul

- Naproxeno comprimido 500 mg - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul

- Pancreatina 10.000 UI - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul

- Penicilamina cápsula 250mg - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul

- Quetiapina comprimido 200 mg - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul

- Risedronato comprimido 35 mg - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul

- Rituximabe solução injetável 500 ml - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul

- Suplemento alimentar à base de canabidiol seringa - em falta Asa Sul

- Timolol solução oftálmica 0,5% frasco 5 ml - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul

- Ziprasidona cápsula 40 mg - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul

- Ziprasidona cápsula 80mg - em falta Gama, Ceilândia e Asa Sul


Ministério da Saúde

- Alfavelaglicerase 200 U pó

- Alfavelaglicerase 400 U pó

- Deferasirox comprimido dispersível 125 mg

- Fumarato de Dimetila 120 mg comprimido

- Glatiramer pó liofilizado ou solução injetável 40 mg ou seringa preenchida 1 ml

- Golimumabe solução injetável 50mg/0,5 seringa preenchida

- Imunoglobulina humana 5 g frasco - em falta no Gama e Asa Sul

- Latanoprosta solução oftálmica 50mcg/ml frasco com 2,5ml

- Levetiracetam 250 mg comprimido revestido

- Metotrexato comprimido 2,5 mg

- Pramipexol comprimido 0,25 mg

- Sevelamer (hidrocloreto) comprimido 800 mg

- Somatropina injetável 12 UI

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE