INCIDENTE

713 Norte: lojas de prédio cuja laje desabou devem reabrir no fim de semana

Após teto do primeiro andar do edifício desmoronar, na semana passada, edifício ficou interditado. Local segue em obras e com áreas isoladas, mas começa a receber moradores

Mariane Rodrigues
postado em 10/08/2021 21:53 / atualizado em 10/08/2021 21:58
Parte de prédio na 713 Norte desabou na sexta-feira (6/8) -  (crédito: Mariane Rodrigues/CB/DA Press)
Parte de prédio na 713 Norte desabou na sexta-feira (6/8) - (crédito: Mariane Rodrigues/CB/DA Press)

O bloco da 713 Norte, na W3, cuja laje desmoronou na sexta-feira (6/8), continua isolado e atrai a curiosidade de quem passa pela região. Para evitar o fluxo de pessoas e garantir a segurança dos pedestres, operários instalaram vigas de madeira e tapumes para escorar a estrutura, no dia seguinte ao desabamento. Nesta terça-feira (10/8), o endereço começou a receber os moradores de volta, depois da demolição do pavimento superior do edifício. As lojas devem retomar as atividades no fim de semana.

O ex-deputado distrital Raad Massouh, proprietário do prédio, afirmou ao Correio que as obras estão em andamento desde sábado (7/8), cumprindo exigências da Defesa Civil. "Colocamos os tapumes, fechamos a área onde ocorrem os trabalhos e fizemos escoramentos de segurança no subsolo, nas lojas e marquises não afetados", detalhou.

O ex-deputado informou que contratou uma equipe para elaborar laudos e novos projetos para recuperação do imóvel, além de recolher os entulhos e escombros do andar onde ocorreu o incidente. Raad ressaltou que os inquilinos ficarão à vontade para decidir sobre o que fazer. Se permanecerem, não terão prejuízos e, se quiserem deixar o edifício, não receberão multas ou cobranças, apenas "todo o apoio necessário". 

  • Moradores começam a voltar ao prédio cuja laje desabou na W3 Norte. Estrutura desmoronou na sexta (6/8) e edifício foi interditado. Local segue isolado e escoramento começou no sábado (7/8)
    Previsão é de reabertura das lojas do térreo até o fim desta semana Mariane Rodrigues/CB/DA Press

Moradora do prédio, Jusciana dos Santos, 42, relatou que alguns vizinhos voltaram para casa. Mas ela ainda tem receio . "Pretendo dormir lá hoje (terça-feira), mas confesso que estou com muito medo e procurando, com urgência, outro lugar para morar", disse a inquilina.

Na intenção de reparar a estrutura, a Defesa Civil liberou parte do local que havia sido interditado. No entanto, para evitar riscos, as lojas do térreo não podem funcionar. A previsão é de que elas reabram no fim desta semana. "Creio fortemente que, com todas as medidas tomadas até o momento, o risco de um novo desabamento é praticamente inexistente", ressaltou o engenheiro da Defesa Civil, tenente Rossano Bohnert.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE