Saúde

Diretor do HRG pede exoneração após denúncias de problemas na unidade

O pedido foi publicado no Diário Oficial do DF desta sexta-feira (13/8). Nesta semana, o Correio publicou uma matéria com denúncias a respeito da situação no Hospital Regional do Gama (HRG)

Nélio Sousa* Júlia Eleutério*
postado em 13/08/2021 10:39 / atualizado em 13/08/2021 12:48
Falta de medicamentos e equipamentos está entre as denúncias -  (crédito: Daniel Ferreira/CB/D.A Press                      )
Falta de medicamentos e equipamentos está entre as denúncias - (crédito: Daniel Ferreira/CB/D.A Press )

O diretor do Hospital Regional do Gama (HRG), Renato de Almeida Lima, pediu exoneração do cargo. A decisão foi publicada na edição do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta sexta-feira (13/8). A saída do cargo ocorre três dias após o SindMédico-DF e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF) pedirem a interdição temporária do exercício médico no hospital. De acordo com a denúncia, a situação era caótica. Os problemas foram revelados pelo Correio na terça-feira (10/8). A unidade de saúde passa a ser dirigida por Guilherme Augusto Guerra Avelar.

Segundo a denúncia, os funcionários do HRG relataram problemas como falta de equipamentos, insuficiência de profissionais, falta de insumos, de remédios e de reformas na estrutura do prédio. Além desses problemas, a denúncia apontou que os plantões contavam com um ou dois médicos e que, frequentemente, pacientes internados na ala de emergência ficavam até três dias sem passar por reavaliação. A soma de fatores resultou em mortes que, segundo a acusação, teriam sido evitadas caso houvesse atendimentos adequados a essas pessoas.

Em resposta ao Correio, a Secretaria de Saúde do DF esclarece que “os cargos comissionados são de livre provimento”, sendo assim as nomeações e exonerações ocorrem de acordo com a avaliação das chefias e do Governo. O Correio fez contato por telefone com o médico Renato de Almeida, mas até a mais recente publicação desta nota, ele não havia atendido a chamada e nem respondido às mensagens. O espaço segue aberto para manifestação.

Outro caso

No mês de março, um funcionário do HRG também fez uma denúncia sobre o atendimento de pacientes que estavam em tratamento da covid-19. Na época, o profissional relatou, em um prontuário de uma das pessoas internadas na unidade, que havia falta de oxigênio, falta de unidade de terapia intensiva (UTI), de ventiladores mecânicos e de outros equipamentos. A falta de médicos era um dos problemas apontados por esse funcionário do Hospital do Gama.

Novas adequações

Em nota, a Secretaria de Saúde informou que está prevendo a destinação de 20 médicos emergencistas para reforçar o quadro dos profissionais de saúde do Hospital Regional do Gama. Esses servidores serão selecionados por edital a ser lançado nos próximos dias, visando a contratação de 100 médicos, que já foi autorizada pela Secretaria de Economia do DF. Mesmo com a pandemia, o HRG fez quase 5 mil cirurgias, sendo a maioria de emergência.

*Estagiários sob supervisão de Nahima Maciel

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE