ESTELIONATÁRIO

Falso pastor preso por estelionato em Taguatinga é encaminhado para Sergipe

Alailson Amorim desembarcou em Aracaju na madrugada desta terça-feira (17/8) junto com o Departamento de Narcóticos de Sergipe. Agora, ele segue à disposição da Justiça

Correio Braziliense
postado em 17/08/2021 13:27 / atualizado em 17/08/2021 13:27
Alailson Amorim é investigado por crimes de estelionato e furto  em Sergipe, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Alagoas, e Maranhão. -  (crédito: Divulgação)
Alailson Amorim é investigado por crimes de estelionato e furto em Sergipe, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Alagoas, e Maranhão. - (crédito: Divulgação)

Alailson Amorim, 41 anos, desembarcou na madrugada desta terça-feira (17/8) em Aracaju (SE), onde ficará à disposição da Justiça pelos crimes de estelionato e furto. O acusado foi preso no último sábado (14/8), no Shopping JK, em Taguatinga, durante ação conjunta entre a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e Polícia Civil de Sergipe (PC/SE). Contra Alaison havia três mandados de prisão em aberto.

Os policiais estavam monitorando os passos do estelionatário, conhecido também como falso pastor, por utilizar da fé para aplicar golpes. Durante as diligências, chegou a informação que Alailson estaria em Brasília. No sábado (14/8), ele postou uma foto em um shopping da capital e o Grupo Tático Operacional do 10º Batalhão (Gtop 30) em conjunto com a equipe do Departamento de Narcóticos (Denarc) de Sergipe realizou a prisão

Nesta segunda-feira (16/8), a equipe do Denarc saiu do Aeroporto de Brasília com o investigado e desembarcou na capital sergipana por volta de 1h20 desta terça (17/8). Alailson tem uma ficha criminal extensa, com crimes em vários Estados do país. Em 2012, ele foi preso em flagrante por ter furtado um veículo em Aracaju. Duas mulheres, que moram no Maranhão e em São Paulo, contaram à polícia que foram vítimas também de cárcere privado. Uma delas disse que foi estuprada por ele. 

O caso mais recente de estelionato praticado pelo suspeito, em Sergipe, foi a venda de um veículo pelo valor de R$ 34 mil para um idoso. A vítima viu o anúncio do carro e entrou em contato com o vendedor, no caso, Alailson. No encontro marcado, o investigado se apresentou como juiz de direito e pastor evangélico e afirmou que o carro seria de propriedade de sua esposa.

De acordo com as diligências, o estelionatário teria dito à vítima que o objetivo da venda seria o de montar uma igreja. A negociação foi acertada e, após a transferência do dinheiro, todos foram ao cartório do 1º Ofício de Aracaju, onde foi feito o reconhecimento de firma da proprietária do veículo. Conforme o apurado, Alailson ficou de entregar alguns objetos e, como não o fez, a vítima procurou saber a procedência do carro. Após isso, descobriu que o veículo estava com uma dívida de R$ 18 mil junto a uma instituição financeira.

Segundo as investigações, Alailson Amorim mantinha perfis falsos em redes sociais e dizia que tinha parentes em cargos de destaque, como forma de intimidar suas vítimas. Um suposto parente seria juiz federal, um tio policial civil e uma mulher, advogada, todos com o sobrenome Amorim. 

Além de Sergipe, crimes semelhantes praticados por Alailson são investigados nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Alagoas e Maranhão. Espera-se que mais vítimas se sintam encorajadas a procurar as autoridades policiais a fim de registrar novas ocorrências praticadas pelo suspeito.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE