Violência Doméstica

Justiça solta agressor da mulher que fingiu pedir pizza para ter ajuda

Homem foi solto em audiência de custódia, mas deve seguir medidas protetivas. Caso descumpra, poderá ser preso novamente

Edis Henrique Peres
postado em 01/10/2021 17:13
 (crédito: PMDF/Divulgação)
(crédito: PMDF/Divulgação)

O homem que ameaçou a companheira com uma faca, em Ceilândia Sul, foi solto nesta sexta-feira (1ª/10) em audiência de custódia. A liberdade provisória, contudo, deve ser seguida com restrições, e a companheira do agressor, que sofria constantes ameaças, conta com medidas protetivas.

O caso ocorreu na noite de terça-feira (28/9) quando uma mulher ligou a Polícia Militar do DF (PMDF) fingindo pedir uma pizza para conseguir ajuda. Naquela noite, o companheiro amolava uma faca na frente dela e a ameaçava. A mulher relatou à polícia que já sofreu outras agressões do companheiro, mas nunca conseguiu denunciar.

Delegada-chefe da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam 2), Adriana Romana explica que o homem foi preso em flagrante no contexto da Lei Maria da Penha. “Ele foi solto na audiência de custódia, com restrições relativas à prisão, e também com medidas protetivas deferidas em favor da vítima. Não havia ocorrência anterior entre as partes, e ele não tinha antecedentes. Nesse cenário, é bem comum ser concedida a liberdade provisória na audiência de custódia. Agora, se ele descumprir as medidas protetivas, poderá ser preso novamente ou ter a prisão preventiva decretada”, destaca.

Relembre

A denúncia feita na Central de Operações da PMDF aconteceu na noite de terça-feira (28/9). A mulher, assustada, pedia uma pizza de pepperoni para ser entregue em sua casa. O PM que atendeu a ligação contou, em depoimento, que, devido às últimas notícias de pedidos de ajuda contra violência doméstica, eles imaginaram que se tratava de um caso parecido.

Ao chegar na casa da vítima, a encontraram com uma criança de aproximadamente 1 ano no colo, filho do casal, com o marido próximo a ela. A polícia solicitou que ele deixasse a residência e esperasse do lado de fora com mais dois soldados. Em conversa com os agentes, a mulher relatou que sofria ameaças constantes, além de já ter um trauma de violência sofrida na própria família.

“O pai dela ameaçava a mãe dela com uma faca na frente da mãe, falando que iria matar ela. E isso aconteceu, realmente. E o pai da vítima, pelo que ela contou, acabou matando a mãe. O marido dessa vítima estava fazendo a mesma coisa. Ficava amolando a faca e ameaçando ela", relatou, na ocasião, o porta-voz da PMDF, major Michello Bueno.

Onde procurar ajuda?

  • 190
  • Ouvidoria do MPDFT
    Telefones: 0800 644 9500 ou 127, das 8h às 19h
  • Centros Especializados de Atendimento à Mulher (CEAMs)
    Unidades: Planaltina, Ceilândia e 102 Sul
  • Centros Especializados de Atenção às Pessoas em Situação de Violência (Cepavs)
    Unidades: nos hospitais regionais ou policlínicas
  • Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
    Telefone: 180 (disque-denúncia)
  • Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)
    Entrequadra 204/205 Sul - Asa Sul
    (61) 3207-6172
  • Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos
    Telefone: 100

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE