Violência contra a mulher

Vítima de feminicídio no DF era diretora de políticas para mulheres em sindicato

Cilma entrou na diretoria do Sindiserviços-DFem 2007. Natural de Codó (MA), a mulher foi eleita como efetiva do Conselho Fiscal. Participava, também, dos Congressos da CUT Brasília (CECUT/DF) e do Congresso Nacional dos Trabalhadores das Áreas de Serviços e Comércio

Darcianne Diogo
Renata Nagashima
postado em 03/10/2021 19:46
Celmi foi brutalmente assassinada dentro de casa pelo companheiro -  (crédito: Sindiserviço-DF/Divulgação)
Celmi foi brutalmente assassinada dentro de casa pelo companheiro - (crédito: Sindiserviço-DF/Divulgação)

A mulher esfaqueada pelo companheiro na madrugada deste sábado (3/10), dentro do condomínio, no Setor Total Ville, em Santa Maria, atuava como diretora de Políticas para as Mulheres e Combate ao Racismo do Sindicato de Serviços Terceirizáveis (Sindiserviços-DF). Cilma da Cruz Galvão, de 51 anos, foi assassinada brutalmente dentro de casa. O principal suspeito é o namorado, identificado como Evanildo das Neves da Hora, 37. 

Cilma entrou na diretoria do Sindiserviços-DFem 2007. Natural de Codó (MA), a mulher foi eleita como efetiva do Conselho Fiscal. Participava, também, dos Congressos da CUT Brasília (CECUT/DF) e do Congresso Nacional dos Trabalhadores das Áreas de Serviços e Comércio. Como detalhado no próprio site do sindicato, a vítima participou, ainda, em 2010, da Associação dos Moradores do Residencial Dom Bosco na Cidade Ocidental.

A auxiliar de limpeza foi morta a facadas dentro do próprio apartamento, em Santa Maria. O crime aconteceu durante a madrugada. As imagens do circuito interno de segurança obtidas em primeira mão pelo Correio captaram, às 1h31, Evanildo saindo do prédio de Cilma com uma mochila em mãos.

A Polícia Militar do DF foi acionada por volta de 12h, depois do filho da mulher ter ido à casa da mãe para chamá-la para um aniversário. Ele apertou a campainha, mas como ficou sem resposta, arrombou a porta do apartamento e deparou-se com a genitora morta e com os órgãos expostos.

Crime

Ao Correio, uma moradora do mesmo condomínio contou que o casal se conheceu há sete meses na igreja e passaram a morar juntos. “Quando foi ontem, ele pediu pra ela todo o dinheiro que ele deu no apartamento e eles brigaram. Ele matou ela asfixiada com uma almofada e em seguida rasgou ela toda”, contou a mulher que preferiu não se identificar. Até a última atualização dessa reportagem, o suspeito seguia foragido. Policiais estão nas ruas em busca do paradeiro do homem, que é natural da Bahia.

A PMDF informou que quando os policiais chegaram ao apartamento onde a vítima estava, foi constatado que ela não tinha sinais vitais e tinha perfurações pelo corpo. A 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria) apura o caso.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE