Comboio do Cão

Morte em motel: chefe de facção fez vídeo exibindo armas: "Onde pegar é mal"

A filmagem obtida com exclusividade pelo Correio mostra Ruan Rodrigues de Souza, 27 anos, vulgo R7 ostentando armas de grosso calibre com seletor de rajada. Ele é foragido e acusado de matar Ana Carolina de Lima Araújo em um motel de Taguatinga

Darcianne Diogo
postado em 08/11/2021 15:16 / atualizado em 08/11/2021 15:16
No vídeo, chefe de fação ostenta arma de grosso calibre -  (crédito: Material cedido ao Correio)
No vídeo, chefe de fação ostenta arma de grosso calibre - (crédito: Material cedido ao Correio)

Vídeo obtido com exclusividade pelo Correio mostra o acusado de assassinar a tiros a jovem Ana Carolina de Lima Araújo, 25 anos, em um motel de Taguatinga. Na filmagem, Ruan Rodrigues de Souza, 27 anos, vulgo R7, ostenta armas de grosso calibre e mostra várias munições. R7 era namorado da vítima e é apontado como um dos líderes da maior facção do DF, o Comboio do Cão (veja os vídeos abaixo).

O crime aconteceu na madrugada de domingo (31/10), no Motel Play Time de Taguatinga, e é tratado como feminicídio pela 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul). Na sexta-feira (5/11), um dos envolvidos acabou preso pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). Identificado como Pedro Henrique Sampaio, conhecido como “Zoio”, ele também era membro do Comboio do Cão.

No decorrer das diligências, os investigadores da 21ª DP localizaram vídeos que mostram Ruan, o R7, mostrando armas. Em uma das filmagens, ele mostra uma pistola prata e ameaça: “Onde ‘nós’ pegar tá ligado. Onde ‘nós’ pegar, é mal. Daquele ‘modelão”, disse.

Ruan tem alto poder aquisitivo e é um dos chefes do Comboio do Cão. Seria ele, também, o responsável por alugar armas para outras pessoas cometerem crimes. Em um outro vídeo, ele mostra ao menos cinco armas, inclusive algumas com seletor de rajada, vários cartuchos e caixas de munições em cima de uma cama.

Feminicídio

No dia do crime, os três acusados e uma mulher ingeriam bebida alcoólica quando decidiram, na madrugada, ir ao motel. O grupo acionou um motorista de transporte de aplicativo para ir ao estabelecimento. Eles chegaram por volta das 1h50 e às 4h11 pediram a conta.

Câmeras do circuito interno de segurança registraram o momento em que três pessoas saíram a pé por uma porta lateral. Quando funcionários foram fazer a vistoria na suíte, encontraram o corpo de Ana Carolina caído ao chão e com uma marca causada supostamente por tiro. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a Polícia Militar do DF (PMDF) foram acionados, mas a vítima estava sem vida.

Ruan e Ana Carolina mantinham um relacionamento
Ruan e Ana Carolina mantinham um relacionamento (foto: Material cedido ao Correio)

A perícia da PCDF compareceu ao local e constatou que a jovem morreu com um disparo causado por arma de fogo na nuca. Com as diligências, os investigadores identificaram os envolvidos e solicitaram as prisões temporárias à Justiça do DF. Os mandados foram deferidos e cumpridos neste domingo (7/11).

Crime x investigação


Pedro Henrique, preso neste domingo (7/11), é apontado como o responsável por efetuar o disparo de arma de fogo. Segundo as investigações, Ana Carolina mantinha um relacionamento com Ruan Rodrigues de Souza, 27 anos, conhecido como R7. O criminoso teria descoberto uma traição da jovem dias antes do crime. Não se sabe, no entanto, se essa seria a real motivação do feminicídio.

Ruan está foragido. Além dele, a polícia busca por José de Alencar Fernandes Filho, o “Filhote”. Os dois tiveram os mandados de prisão temporária decretados, mas não foram localizados até o fechamento desta edição. O Correio teve acesso ao mandado de prisão expedido pela Justiça. No documento, ressalta-se que a prisão temporária do acusado “é imprescindível para a continuidade das investigações, porquanto será possível ouvi-los para esclarecer a dinâmica do crime e indicar a localização da arma utilizada para confronto balístico. Somado a isso, também é indispensável garantir a integridade física das testemunhas.”

Dois dias depois do assassinato de Ana Carolina, Ruan gravou um vídeo ameaçando um suposto rival morador do Guará 1. Na filmagem, o criminoso aparece com outros dois homens em um carro. O ocupante da frente carrega duas armas no colo, enquanto o outro está no banco de trás.

O vídeo circulou pelas redes sociais. Se intitulando como R7, o suspeito diz: “Parceiro, nós ‘tá’ dominando. [...] ‘Tamo’ armado e os cabra ‘tão’ tudo morrendo. Tem um ali no Guará para nós matar. Tem um ali que tentou contra nós, no Guará 1. Declarou ‘cabuloso’ contra o Comboio (referindo-se à facção)”, falou.

Ficha criminal


Integrante de facção, Ruan tem uma passagem criminal de 2015 pelo crime de roubo. Com um simulacro de arma de fogo, ele e um adolescente abordaram uma mulher em via pública, na QSF 16 de Taguatinga. Sob grave ameaça, a dupla anunciou o assalto no momento em que a vítima chegava em casa de carro. Ao parar para abrir o portão eletrônico, a mulher foi abordada pelos dois criminosos.

Ruan disse à mulher que a mataria caso não abrisse a porta, ligasse o carro e o conduzisse imediatamente. Como consta na denúncia do Ministério Público do DF, o adolescente abriu a porta do passageiro e entrou no veículo. Assustada, a vítima saiu do automóvel e Ruan tomou a chave e fugiu com o menor no Siena.

Os dois foram detidos pouco tempo depois do crime pela polícia, após a vítima gritar por socorro e acionar os militares que passavam pelo local. A dupla chegou a abandonar o carro e tentar fugir a pé, mas foi alcançada e presa.

À época, Ruan teve o mandado de prisão flagrante convertido em preventiva. À época, ele foi condenado a uma pena de mais de 10 anos, mas teve a liberdade provisória concedida pela Justiça. A PCDF divulgou as fotos dos dois foragidos para conhecimento da população. A corporação pede para que, caso alguém saiba do paradeiro dos suspeitos, ligue para o número 197 da Polícia Civil. O sigilo é garantido.

  • Ruan Rodrigues, do Comboio do Cão, também está foragido
    Ruan Rodrigues, do Comboio do Cão, também está foragido Foto: PCDF/Divulgação
  •  05/11/2021-Ana Carolina de Lima Araújo foi vítima de feminicídio. A jovem, 25 anos, morreu com um tiro na nuca e foi encontrada no Motel Play Time
    05/11/2021-Ana Carolina de Lima Araújo foi vítima de feminicídio. A jovem, 25 anos, morreu com um tiro na nuca e foi encontrada no Motel Play Time Foto: Redes sociais
  • Ruan e Ana Carolina mantinham um relacionamento
    Ruan e Ana Carolina mantinham um relacionamento Foto: Material cedido ao Correio
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE