Saúde pública

Idosa acumulava 5 toneladas de lixo em casa na região de Samambaia Sul

Sacolas plásticas, sapatos, colchões e vasilhas plásticas foram retirados do quintal da moradora nesta quarta-feira (12/1). A ação é uma iniciativa da Administração Regional juntamente a Diretoria de Vigilância Ambiental e o Polo Oeste

Rafaela Martins
postado em 12/01/2022 23:57 / atualizado em 12/01/2022 23:57
 (crédito: Divulgação/Administração Regional de Samambaia)
(crédito: Divulgação/Administração Regional de Samambaia)

Uma idosa de 66 anos morava em meio a cinco toneladas de lixo, na região administrativa de Samambaia Sul. A residência estava insalubre, com muita lama, sacolas plásticas, 200 pares de sapatos, colchões velhos e outros resíduos. Em operação conjunta, a Administração de Samambaia, a Diretoria de Vigilância Ambiental e o Polo Oeste realizaram a coleta dos itens, nesta quarta-feira (12/1).

As instituições estão atuando no combate aos focos de dengue, controle de pragas e roedores. O vizinho da moradora mencionou a preocupação de todos com a situação. "Sempre conversamos muito com ela, para que não acumule lixo, visando sua saúde e a dos vizinhos, temos consciência desse perigo. Nós agradecemos a atenção do Administrador de Samambaia que quando as coisas pioram sempre vem nos ajudar", disse Werley de Abreu.

A idosa recebe cuidados, visitas constantes do Núcleo de Vigilância Ambiental, além de ser acompanhada pelo centro de apoio psicossocial da cidade. O administrador de Samambaia, Gustavo Aires, explica como tomou conhecimento de casos como esse. "As demandas de acumuladores compulsivos chegam até nós através de denúncias de vizinhos, que incomodados com o mau cheiro e com a proliferação de insetos e ratos pedem nosso apoio", falou.

A chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental, Giselle Braz, conta que essa é a quarta operação somente nesta residência. "Temos feito um trabalho constante de conscientização da moradora, hoje foi apenas um caminhão trucado". Gisele lembra que na última operação foram 4 caminhões, o que demonstra que a moradora pode estar tomando consciência da situação.

Com informações da Administração Regional de Samambaia

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE