Distrito Federal

Adolescente de 14 anos é baleada ao defender o pai em tentativa de assalto

O Correio conversou com o pai da adolescente, o vigilante Paulo Sérgio da Silva, 49, que deu detalhes do ocorrido. A menina passou por cirurgia e passa bem

Darcianne Diogo
postado em 21/01/2022 23:39 / atualizado em 22/01/2022 00:07
Imagens mostram os três suspeitos de cometerem a tentativa de latrocínio -  (crédito: Material cedido ao Correio)
Imagens mostram os três suspeitos de cometerem a tentativa de latrocínio - (crédito: Material cedido ao Correio)

Uma adolescente, de 14 anos, foi baleada no tórax durante uma tentativa de assalto em casa, no Riacho Fundo 2. A menina presenciou, pela janela da residência, o pai tomando um mata-leão dos criminosos, quando saiu para tentar ajudar e acabou baleada. Imagens do circuito interno de segurança obtidas pelo Correio mostram o momento que os três suspeitos correm após cometer o crime (veja o vídeo abaixo).

A tentativa de latrocínio ocorreu nesta terça-feira (18/1), em plena luz do dia, por volta das 14h. O Correio conversou com o pai da adolescente, o vigilante Paulo Sérgio da Silva, 49, que deu detalhes do ocorrido. Paulo mora com os dois filhos, a adolescente e uma criança de 11 anos, e a mãe, uma idosa. Por causa de um AVC, o homem fica em casa com a família.

No dia do crime, como de costume, Paulo estacionou o carro do lado de fora. Durante a tarde, ele saiu para guardar o veículo na garagem, quando notou a presença de três homens em atitude suspeita. “Sou muito observador e, quando vi pelo retrovisor, imaginei que esses três homens estariam procurando alguma casa para roubar. Vi que eles passaram pela minha casa, olharam, depois passaram em frente a casa da vizinha e dobraram o beco”, contou.

A filha de Paulo chegou poucos minutos depois em casa e não notou qualquer atitude. Paulo, que estava do lado de fora, acabou sendo surpreendido pelos criminosos. “Eu não imaginava que eles fossem retornar”, frisou.

Defesa


Ameaçado por três assaltantes e com a arma apontada para a cabeça, Paulo pedia a todo instante para que os autores preservassem a família dele. “Eu gritei e disse para a minha filha que estavam roubando nossa casa. Ela apareceu na janela e decidiu sair para tentar me salvar”, disse.

A adolescente viu toda a situação pelas grades da janela e, assustada, decidiu defender o pai. Paulo conta que houve um “empurra empurra” e, nesse momento, um dos criminosos atirou contra o tórax da menor. “Na hora, eu só consegui chamar o bandido de covarde e perguntei porque ele tinha feito isso com minha filha”, detalhou o vigilante.

O trio saiu correndo e Paulo decidiu segui-los, mas não conseguiu alcançá-los. Ao retornar para a casa, a filha já havia sido encaminhada ao hospital por um vizinho. A menina passou por cirurgia e não corre risco de morte. “Atiraram para matar. Mas Graças a Deus minha filha está bem e eu só quero Justiça”, finalizou.

A investigação está à cargo da Polícia Civil do DF. Até a última atualização dessa reportagem, ninguém havia sido preso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE