Ceilândia

Corpo de enfermeiro é encontrado com sinais de tortura em apartamento no DF

O homem estava desaparecido desde a madrugada do último sábado (2/4). O caso ocorreu em Ceilândia

Darcianne Diogo
postado em 04/04/2022 19:30 / atualizado em 04/04/2022 19:44
Corpo de enfermeiro é encontrado com sinais de tortura em apartamento de Ceilândia   -  (crédito: Material cedido ao Correio )
Corpo de enfermeiro é encontrado com sinais de tortura em apartamento de Ceilândia  - (crédito: Material cedido ao Correio )

O corpo de um enfermeiro foi encontrado com sinais de tortura, no fim da tarde desta segunda-feira (4/4), em um apartamento da QNN 7 de Ceilândia. O homem, identificado como André Lopes de Barros, estava desaparecido desde a madrugada de sábado (2/4), quando um vizinho notou a ausência do morador e acionou o proprietário do imóvel.

O dono do apartamento pegou a cópia da chave e, ao entrar no imóvel, se deparou com o corpo de André. Ao Correio, vizinhos contaram que a vítima morava sozinha e não era vista desde a noite de sexta-feira. "No domingo, eu vi que tinha uma blusa dele caída na frente da porta. Eu achei estranho, peguei a camiseta e coloquei próximo ao sapato dele", relatou.

  • Corpo de enfermeiro é encontrado com sinais de tortura em apartamento de Ceilândia  Material cedido ao Correio
  • Corpo de enfermeiro é encontrado com sinais de tortura em apartamento de Ceilândia  Minervino Junior/CB/D.A Press
  • Corpo de enfermeiro é encontrado com sinais de tortura em apartamento de Ceilândia  Minervino Junior/CB/D.A Press
  • Corpo de enfermeiro é encontrado com sinais de tortura em apartamento de Ceilândia  Minervino Junior/CB/D.A Press

Enfermeiro, André nasceu em Bom Jesus, no Piauí. Um conhecido, que preferiu não se identificar, disse à reportagem que o rapaz esteve em dois bares de Ceilândia antes de desaparecer. Um deles, próximo à 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia Centro). "Eu cheguei a ficar sentado com ele na mesma mesa no primeiro bar, mas logo depois ele saiu. Ele não tinha o costume de levar estranhos para casa. Não sei o que pode ter acontecido, mas é muito estranho." 

Os investigadores da 15ª DP foram acionados por volta das 17h. Até às 19h desta segunda-feira, a perícia ainda estava no local. O caso segue em apuração.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE