Economia

Comerciantes estão otimistas com as vendas para o Dia das Mães

Consumidores devem gastar 50% a mais neste período."A cadeia produtiva está funcionando 100%", afirma Sebastião Abritta, presidente do Sindivarejista

Renata Nagashima
postado em 05/05/2022 05:48 / atualizado em 05/05/2022 05:49
 Isabel Rodrigues, Rafaela Turquye e Margonete: dia de presentes -  (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)
Isabel Rodrigues, Rafaela Turquye e Margonete: dia de presentes - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)

Se, para o comércio, o Dia das Mães é a segunda melhor data para o comércio, para o consumidor, a data marca o momento de homenagear a mulher que o trouxe à vida ou lhe mostrou o mundo. No Distrito Federal, a estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-DF) é que os consumidores gastem até 50% a mais que o ano passado com os mimos para as mães. O valor médio do presente deve saltar de R$ 114,96 para R$ 174,95.

A expectativa do comércio é que as vendas cresçam até 19%, o que representa um aumento de 5% em relação ao ano de 2021, de acordo com um levantamento feito pelo Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista). "A cadeia produtiva, ao contrário do ano passado, agora está funcionando 100% e o pior da pandemia já passou, não há mais lockdown e as pessoas estão podendo sair sem máscara e isso deixa o consumidor mais otimista para sair às compras", explicou Sebastião Abritta, presidente do Sindivarejista.

  • Isabel Rodrigues, Rafaela Turquye e Margonete: dia de presentes Minervino Júnior/CB/D.A.Press
  • Eduarda Santos prepara uma surpresa para a vovó Minervino Júnior/CB/D.A.Press
  • Mariana de Lima com a filha Rosângela: presente confortável Carlos Vieira/CB/D.A Press

Se alguns preferem surpreender a mãe, a militar Mariana de Lima Esteves, 24 anos, fez o movimento oposto. Levou a mãe Rosângela Soares Lima, 52, para lanchar e, em seguida, para escolher o presente exatamente como queria. "Vimos sapatos e escova de cabelo, coisas que ela realmente vai usar. Nada de panela!", brincou. "Eu quero ficar bonita", completou a mãe.

Apesar de gostar de fazer surpresa, a jovem esse ano optou por comprar o presente com a mãe para a escolha certeira. "Compra surpresa, às vezes, não é o que agrada tanto. Então, como ela merece o melhor, nada mais juntos que ela mesma escolher", afirmou Mariana. O segredo para conseguir um bom presente, e em conta, para a militar é pesquisar. "Olhei bastante antes, vi várias coisas e achei promoções muito boas."

Apesar da inflação, mas com crescimento registrado nas vendas da Páscoa, cerca de 57% dos lojistas entrevistados pela Fecomércio acreditam que as vendas para o Dia das Mães este ano serão melhores do que no ano passado e apostam em um aumento efetivo nas vendas de 26% em relação a 2021. Em termos de faturamento, a data só perde para o Natal.

A funcionária pública Eduarda Santos Bernardes, 27, neste ano vai homenagear a avó, afinal, mãe é quem cria. "Mesmo tendo minha mãe, mas foi minha avó que me criou desde pequena. Ela é o meu referencial em tudo", disse. Na hora de escolher o presente de Dia das Mães e de aniversário, já que as datas são próximas, ela optou por algo que fosse útil e que a avó estivesse precisando. "Eu comprei uma sandália confortável, pois ela tem problema no pé. Acho que vai gostar bastante", contou.

Criatividade 

Economista do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), William Baghdassarian reforça que o segredo é ter consciência na hora de comprar um presente compatível com a sua renda. "O grande problema é que as pessoas, às vezes, querem dar um presente, que a mãe certamente merece, mas  o presente é incompatível com o que essa pessoa ganha. Aí acaba ficando apertada o ano todo. Então, a maior dica é dar um presente que seja compatível com o que você ganha, porque não adianta também se apertar demais e depois ficar prejudicado com isso", explicou.

Baghdassarian aconselha que uma boa saída é ser criativo na hora de presentear. "Uma demonstração de amor ou uma presença maior na vida da mãe é muito mais importante que o presente", afirmou. Por isso, para o economista, nesse momento de inflação alta, é uma boa oportunidade para que as pessoas repensem o que seria mais significativo para as mães, além de coisas materiais. "Às vezes, a pessoa pode fazer algo que a mãe gosta, como um prato ou um ato de carinho. Eu acho que o gesto é muito mais importante do que o valor do presente", completou.

Apesar de terem preparado uma surpresa para o Dia das Mães, as estudantes Isabel Rodrigues, 25, e Rafaele Turque, 17, decidiram mimar a mãe Margonete Rodrigues, 49, mais um pouco. "Ela disse que queria roupa, então trouxemos ela para escolher. Mas eu comprei um presente surpresa para o dia mesmo. Minha mãe ama receber presente e eu amo vê-la feliz", disse Isabel. "Eu gostei de vir, porque eu escolhi o que gosto, já experimentei. E quis algo bem básico mesmo", afirmou a advogada.

Margonete é a típica mãe que ama agradar os filhos e dá a cada momento simples, motivo para se fazer uma festa. Agora, é a vez de as filhas homenagearem a mãe. "Ela gosta de comemoração. É aquela pessoa que para tudo e todo mundo arruma uma mesa especial. Tudo é festa com ela. Então é legal, nessa data, a gente poder fazer por ela também", acrescentou Rafaele.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE