ECONOMIA

Pão de queijo produzido no Gama conquista consumidores em Nova York

Com as exportações da capital do país em alta, apesar da crise mundial provocada pela pandemia de covid-19, uma fábrica com sede no Distrito Federal exporta, para os Estados Unidos, cerca de 200 toneladas do produto por mês

Thaís Moura
postado em 09/05/2022 06:00 / atualizado em 09/05/2022 06:13
Sócio diretor, Jurandir Pizani destaca que a PaneBras envia o pão de queijo para o Canadá, o Japão e Portugal. Cerca de 10% da produção visa o exterior -  (crédito:  Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Sócio diretor, Jurandir Pizani destaca que a PaneBras envia o pão de queijo para o Canadá, o Japão e Portugal. Cerca de 10% da produção visa o exterior - (crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

Para matar a saudade de casa, nem sempre ligações e videochamadas são suficientes. Às vezes, o corpo e a mente pedem mais. E, nesta busca, o brasiliense Raul Taunay, que mora em Nova Iorque há pouco tempo, caminhou pela cidade e chegou a um mercado especializado em produtos brasileiros. O café daquela tarde tinha que ser acompanhado de pão de queijo, qualquer um. Ele só não esperava encontrar um produzido no Gama.

Neto de mineiro, Raul resgata com o pão de queijo memórias afetivas da vida em Brasília e da infância, em Minas Gerais. "Fiquei ainda mais feliz por ter sido fabricado no DF. Pão de queijo me lembra da casa da minha bisavó Márcia, em Belo Horizonte. Quando era criança, eu comia quantidades absurdas no café da manhã. Nunca faltava por lá", conta Raul.

  • Do DF, Raul se surpreendeu quando viu o pão de queijo do Gama em NY Reprodução/Arquivo Pessoal/Raul Taunay
  • Sócio diretor, Jurandir Pizani destaca que a PaneBras envia o pão de queijo para o Canadá, o Japão e Portugal. Cerca de 10% da produção visa o exterior Carlos Vieira/CB/D.A Press
  • Exportações do DF, como da PanBras, geraram US$ 75 milhões Carlos Vieira/CB

O produto que Raul comprou em Nova Iorque é produzido em uma fábrica a cerca de 32km do Plano Piloto, no Setor Leste Industrial do Gama. A PaneBras exporta, mensalmente, quase 200 toneladas de pão de queijo para os Estados Unidos (EUA). A unidade envia carregamentos para Portugal, Canadá e Japão. Atualmente, está em negociações para entrar no mercado dos Emirados Árabes e da Inglaterra. Além de pão de queijo, a empresa envia para o exterior biscoitos de queijo e uma variedade de pães — doces e salgados. Cerca de 10% de toda a produção visa o exterior, segundo o sócio-diretor da empresa, Jurandir Pizani.

A PaneBras é uma entre as empresas com origem no DF que exploram o mercado internacional. Em 2021, o valor arrecadado com a venda de produtos e insumos para o exterior totalizou US$ 268,6 milhões, 54% (US$ 94,5 milhões) a mais do que em 2020 (US$ 174,1 milhões). As importações, no ano passado, geraram US$ 3,6 bilhões, indicativo de deficit na balança comercial. De fevereiro a março de 2022, as exportações do DF cresceram 48,73%. Na comparação com os últimos 12 meses, a partir de março, a variação foi de 46,21%. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia e da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan)

Atrativos

Paranaense, o empresário Jurandir escolheu Brasília para montar a sede da PaneBras em 2010, após elaborar um plano de negócio. "Apurei que teria mais sucesso aqui, porque Brasília tinha a maior renda per capita, o melhor consumo e um custo de distribuição muito pequeno — em uma área geográfica de aproximadamente 50km, você encontra uns 5 milhões de consumidores", explica Jurandir Pizani, que também é um dos fundadores da empresa.

O olhar para o mercado internacional veio no fim de 2016, quando o empresário sugeriu à equipe de pesquisa e desenvolvimento um estudo de viabilidade para exportar os produtos para a América do Norte. "Todo mundo pensou que era uma loucura, que não teríamos chances, mas, em 2017, chegamos lá. Começamos pequenos no exterior, mas, hoje, temos três centros de distribuição nos Estados Unidos, e no final de maio viajo para abrir a primeira indústria da PaneBras fora do Brasil", conta. O local para implementação do empreendimento está sendo definido.

Nos EUA desde 1989, o administrador Ricardo Bastos é dono de um supermercado que vende somente produtos brasileiros em Nova Iorque (NY) e Jacksonville (FL). O Rio Bonito Market foi inaugurado em 1994 no bairro de Astoria, no Queens, e, hoje, importa alimentos e itens diversos de mais de 20 empresas de pequeno, médio e grande porte, entre elas, a PaneBras. De acordo com o fundador do negócio, pão de queijo é a mercadoria mais vendida no estabelecimento, com 10 marcas em oferta.

Ricardo Bastos revela que, morando em Nova Iorque, ele notou que o bairro onde vivia, o Astoria, tinha uma crescente concentração de imigrantes do Brasil. "Eu conhecia outras lojas brasileiras na região, então, resolvi arriscar a abertura de uma, bem pequena, e, hoje, somos o maior mercado brasileiro dos EUA. Nossas lojas são pontos de encontro da comunidade, onde muitas pessoas vêm matar a saudade do Brasil. A demanda que temos é muito grande, e não é somente de brasileiros. Americanos e latinos gostam muito dos produtos, e o pão de queijo é campeão de vendas, seguido pela picanha", detalha.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE