Política

Damares sobre disputa com Flávia Arruda: "Quem vai ganhar sou eu"

Em convenção do Republicanos, a ex-ministra Damares Alves lançou a pré-candidatura ao Senado Federal. Anuncio acontece depois de recuo por acordo entre José Roberto Arruda (PL), Ibaneis Rocha (MDB) e Jair Bolsonaro (PL)

Edis Henrique Peres
postado em 05/08/2022 12:01 / atualizado em 05/08/2022 13:51
Damares diz que respeita Flávia Arruda, mas que vai ganhar -  (crédito: Ed Alves/CB/D.A.Press)
Damares diz que respeita Flávia Arruda, mas que vai ganhar - (crédito: Ed Alves/CB/D.A.Press)

A candidatura da ex-ministra Damares Alves (Republicanos) reorganizou o tabuleiro da corrida eleitoral no Distrito Federal. Damares tinha recuado da disputa ao Senado após o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), tecer um acordo com Ibaneis Rocha (MDB) e José Roberto Arruda (PL). O acordado no gabinete do presidente era que a ex-ministra deixaria a disputa para que Flávia Arruda (PL) fosse a única candidata a disputar o voto do eleitor bolsonarista ao Senado. Próximo ao fim do prazo para as articulações políticas e dos partidos, o tabuleiro se movimentou e Damares volta à disputa com confiança. "Quem vai fazer a escolha (entre Flávia e Damares) é o povo e vai ser nas urnas. O povo vai ver qual proposta ele quer", destacou.

Damares disse que ainda não teve tempo de conversar com Flávia Arruda sobre o retorno à disputa ao Senado (PL). "Respeito muito a Flávia e vamos nos enfrentar com muito respeito. Mas entendo que o DF precisa de outra proposta e eu sou essa outra opção. E digo para vocês: quem vai ganhar sou eu", garantiu.

A ex-ministra acrescentou que Bolsonaro não pediu a retirada dela da disputa, mas a chamou para avaliar a conjectura política. "Eu me retirei porque imaginei o que seria melhor ao presidente. Mas duas semanas em que estive longe da disputa, não vi nenhum candidato falando de políticas para crianças, idosos, ou mulheres. Alguém precisa falar sobre isso. Estamos aqui para eleger não candidatos, mas uma causa", afirmou.

Damares ressaltou que o presidente entende que ela tem o direito de ser candidata. Questionada sobre quem Jair Bolsonaro vai apoiar, Damares ressaltou que Flávia e ela não colocariam o presidente contra a parede. "Bolsonaro tem que se focar na sua campanha de reeleição. Ele não vai participar da campanha local, o presidente está muito tranquilo. Ele tem duas candidatas da sua base", pontua a ex-ministra. Apesar da possível distância de Bolsonaro da disputa local, a primeira-dama Michelle Bolsonaro participou da convenção que lançou a campanha de Damares na manhã desta sexta-feira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE