Pai de feminicida troca tiros com agentes em operação no DF

O PM aposentado Gilmar Melo é pai de Wesly Denny, preso por assassinar Taynara Kellen, no Gama

O policial militar aposentado Gilmar Melo foi baleado ao trocar tiros com policiais civis e membros do Ministério Público (MPDFT) durante uma operação desencadeada na manhã desta quinta-feira (8/2) -  (crédito: Redes sociais)
O policial militar aposentado Gilmar Melo foi baleado ao trocar tiros com policiais civis e membros do Ministério Público (MPDFT) durante uma operação desencadeada na manhã desta quinta-feira (8/2) - (crédito: Redes sociais)
postado em 08/02/2024 09:37 / atualizado em 08/02/2024 10:45

O policial militar aposentado Gilmar Melo foi baleado ao trocar tiros com policiais civis e membros do Ministério Público (MPDFT) durante uma operação desencadeada na manhã desta quinta-feira (8/2). Gilmar é pai de Wesly Denny da Silva, preso por assassinar a ex-companheira no Gama, em janeiro. A vítima, Taynara Kellen, 26 anos, foi baleada em frente ao local de trabalho.

Na Justiça, Gilmar acumula antecedentes criminais, inclusive por violência doméstica. Antes da Lei Maria da Penha entrar em vigor, o PM foi denunciado ao menos 11 vezes por violência contra a mulher. Numa das ocorrências, chegou a tentar matar uma ex.

A operação conjunta teve como objetivo apreender armas de fogo ilegais vinculadas a Wesly. O autor tinha o registro de Caçador, Atirador Desportivo e Colecionador (CAC) e nas redes sociais costumava ostentar fotos com os armamentos. Nesta manhã, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão em endereços do Gama e de Santa Maria. 

  • Além de armas, Ministério Púbico do DF e Polícia Civil apreenderam dinheiro
    Além de armas, Ministério Púbico do DF e Polícia Civil apreenderam dinheiro Divulgação MPDFT
  • Troca de tiros entre pai do feminicida Wesly Denny deixou marcas na parede
    Troca de tiros entre pai do feminicida Wesly Denny deixou marcas na parede Divulgação MPDFT
  • Durante troca de tiros, ficaram marcas de bala pela casa
    Durante troca de tiros, ficaram marcas de bala pela casa Divulgação MPDFT
  • Arma apreendida na casa do pai do feminicida Wesly Denny
    Arma apreendida na casa do pai do feminicida Wesly Denny Divulgação MPDFT

O Correio apurou que uma das casas vistoriadas foi a de pai de Wesly e de outros familiares do feminicida. Segundo o MP, se confirmada a ocultação de armas e artefatos bélicos, as pessoas que estavam com a guarda dos itens poderão ser denunciadas pela posse irregular de arma de fogo.

Durante as buscas, Gilmar reagiu com disparos e houve troca de tiros com a polícia. Ele foi baleado e encaminhado ao hospital. O PM deve ser autuado por tentativa de homicídio. No carro dele foram encontradas uma arma e R$ 2 mil em espécie.

A operação é desdobramento da investigação do feminicídio praticado por Wesly. No período em que se encontrava foragido, foi realizada busca na casa do acusado, onde foi localizada uma arma de fogo sem registro e documentos relacionados a outras armas, inclusive um fuzil. Os itens não foram identificados nos sistemas dos órgãos responsáveis pelo registro de armas.

Nota Oficial PMDF

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) comunicou, em nota, que, na manhã deste dia 8 de fevereiro de 2024, foi realizada uma operação com a Corregedoria Corporação, em apoio ao MPDF, juntamente com a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). A ação aconteceu no Residencial Idealle, localizado na região do Gama, com o objetivo de cumprir um mandado de prisão.

No decorrer da operação, ocorreu um incidente envolvendo um Policial Militar da Reserva (aposentado) que reagiu ao procedimento. Como resultado, o policial foi atingido no abdômen e sua esposa no braço. Ambos receberam atendimento imediato e foram transportados ao Hospital Maria Auxiliadora, no Gama, pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal. Segundo a polícia, as circunstâncias que levaram ao incidente estão sendo cuidadosamente investigadas. 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação