Répteis

Vídeo: píton que não via um macho há 15 anos põe ovos e intriga especialistas

O caso da píton-real foi anunciado pelo Zoológico de Saint Louis, nos Estados Unidos, como algo "incrível"

Correio Braziliense
postado em 11/09/2020 21:51 / atualizado em 11/09/2020 22:04
 (crédito: Zoológico de Saint Louis/Facebook/Reprodução)
(crédito: Zoológico de Saint Louis/Facebook/Reprodução)

Os especialistas do serpentário do Zoológico de Saint Louis, nos Estados Unidos, estão empolgados com uma das cobras que vivem no local. Trata-se de uma píton-real (Python regius) de 50 anos, a mais velha cobra documentada em um zoológico no mundo. O feito da serpente foi colocar ovos 15 anos depois de seu último encontro com um macho da mesma espécie.

O ovos foram colocados em julho, mas o anúncio ocorreu esta semana, no Facebook do zoo. "Em 23 de julho, algo incrível aconteceu no Serpentário Charles H. Hoessle, no Zoo de Saint Louis: uma píton real colocou ovos! Isso pode soar pouco empolgante para alguns, mas, para os funcionários do nosso serpentário, definitivamente é. Essa cobra-fêmea em particular tem mais de 50 anos e não é vista com um macho há mais de 15 anos!", afirma a postagem da entidade na rede social (veja vídeo abaixo).

Exame explicará os ovos

Ainda de acordo com o zoológico, pítons-reais são nativas do centro e do oeste da África e podem se reproduzir tanto de forma sexuada ou assexuada, um processo conhecido como partenogênese facultativa. Esse pode ser o caso da píton de Saint Louis. No entanto, sabe-se também que serpentes fêmeas podem armazenar espermatozoides para fertilizações tardias.

"Agora, a questão é: qual das duas possibilidades explica os ovos? Sem um teste genético, a equipe do zoo não saberá se essa píton-real se reproduziu de maneira sexuada ou assexuada, mas eles pretendem descobrir. À medida que os cuidadores continuem incubando os ovos, eles enviarão amostras genéticas para exames", completou o zoo no comunicado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação